Comentários de Aurea Thomazi | Digestivo Cultural

busca | avançada
77579 visitas/dia
2,1 milhões/mês
Mais Recentes
>>> Mestres da dança de MG, Marlene Silva e Henry Netto são homenageados em 17 e 18 de março
>>> Projeto “Sala de Visita” recebe Mauricio Virgulino para falar sobre Educomunicação e arte
>>> ZapMusic, primeiro streaming de músicos brasileiros, abre inscrições para violonistas
>>> Espetáculo de dança em homenagem à Villa-Lobos estreia nesta sexta
>>> Filó Machado comemora 70 anos de vida e 60 de carreira em show inédito com sexteto
* clique para encaminhar
Mais Recentes
>>> Um antigo romance de inverno
>>> O acerto de contas de Karl Ove Knausgĺrd
>>> Assim como o desejo se acende com uma qualquer mão
>>> Faça você mesmo: a história de um livro
>>> Da fatalidade do desejo
>>> Cuba e O Direito de Amar (3)
>>> Isto é para quando você vier
>>> 2021, o ano da inveja
>>> Pobre rua do Vale Formoso
>>> O que fazer com este corpo?
Colunistas
Últimos Posts
>>> Queen na pandemia
>>> Introducing Baden Powell and His Guitar
>>> Elon Musk no Clubhouse
>>> Mehmari, Salmaso e Milton Nascimento
>>> Gente feliz não escreve humor?
>>> A profissão de fé de um Livreiro
>>> O ar de uma teimosia
>>> Zuza Homem de Mello no Supertônica
>>> Para Ouvir Sylvia Telles
>>> Van Halen ao vivo em 1991
Últimos Posts
>>> Tiro ao alvo
>>> A TETRALOGIA BUARQUEANA
>>> Bom de bico
>>> Diário oxigenado
>>> Canção corações separados
>>> Relógio de pulso
>>> Centopéia perambulante
>>> Fio desemcapado
>>> Verbo a(fiado)
>>> Janelário
Blogueiros
Mais Recentes
>>> O menino e o Homem Aranha
>>> À beira do caminho
>>> William Faulkner e a aposta de Pascal
>>> Modernismo e Modernidade
>>> O último a sair que apague a luz
>>> Entretenimento dá dinheiro, sim!
>>> Teatro para todos
>>> Creating a profitable startup
>>> Cinemateca, Cinemateca Brasileira nossa
>>> Itaúnas não será esquecida e nem Bento
Mais Recentes
>>> O Patinho Feio Clássicos Ilustrados de Mauricio de Sousa pela Girassol (2016)
>>> O Que São Multinacionais de Bernardo Kucinski pela Brasiliense
>>> Razão e Sensibilidade de Jane Austin pela Lafonte (2020)
>>> Alice no País das Maravilhas de Lewis Caroll pela Scipione
>>> O Ouro de Midas de Adriana Bernardino pela Ftd
>>> Dom Quixote (capa Verde) de Miguel de Cervantes pela Abril Cultural
>>> Siga Seu Coração de Andrew Matthews pela Sextante (2007)
>>> Desabrochar de Emoções- Poemas de Esther Sterenberg pela Esther Sterenberg
>>> O Verde Que Vale Ouro de Daniel C. Esty; Andrew Winston pela Campus (2008)
>>> Os Sonhos Que Alimentam a Vida de José Gregori pela Jaboticaba
>>> Conexão de Maria Aparecida Martins pela Vida e Consciência (2001)
>>> Sem Pecado de Ana Miranda pela Companhia das Letras (1993)
>>> Que Saudade, Snoopy! de Charles M. Schulz pela Conrad
>>> A Rebelião da Pontuação de William Tucci pela Scipione (2008)
>>> Histórias do Pooh de Disney pela Publications International (2009)
>>> Quem Mexeu no Meu Queijo? de Spencer Johnson pela Record (1998)
>>> A Farsa de Christopher Reich; Fernanda Abreu pela Arqueiro (2008)
>>> A Galeria da Fama dos Cientistas Malucos de Daniel H. Wilson pela Cultrix (2011)
>>> Menino de Engenho de José Lins do Rego pela José Olympio (1980)
>>> A Most Wanted Man de John Le Carré pela Hodder and Stoughton
>>> Noite na Taverna de álvares de Azevedo pela Ediouro
>>> The 17 Day Diet de Dr. Mike Moreno pela Free Press (2010)
>>> Lava Jato de Vladimir Netto pela Primeira Pessoa (2016)
>>> The Phantom of the Opera de Jennifer Bassett pela Oxford
>>> Necessidades Humanas Subsídios À Crítica dos Mínimos Sociais de Potyara a P Pereira pela Cortez (2000)
COMENTÁRIOS >>> Comentadores

Quinta-feira, 29/10/2009
Comentários
Aurea Thomazi


Quando on-line não é on-line
Se coincidência existe... aproveito seu texto para desabafar. Sei muito bem o que é não ser "ouvida". Veja só, estou pelejando há mais de uma semana com o cartucho da minha impressora. Comprei 3 e nenhum funcionou. Depois de idas e vindas, e vários telefonemas, a loja acabou devolvendo meu dinheiro, mas não consegui falar e reclamar com o fabricante: Multilaser. Não respondem e-mail, o 0800 não atende e o on-line não é on-line: eles pedem para enviar um e-mail e responder em 48 horas!! E a resposta deles é para enviar o cartucho com defeito, super embalado, com identidade, CPF e o diabo (só faltou pedir cartão de vacina) que eles darão retorno após 30 dias!!! Esse merece ganhar o prêmio, não é? E olha só: o seu texto acaba transformando esse sofrimento em prazer... você é danada, menina.

[Sobre "Raios, trovoadas e técnicos de informática"]

por Aurea Thomazi
29/10/2009 às
14h16 189.107.30.43
 
Querem voltar ao feudalismo!
Ana Elisa, como sempre, você escreve sobre o cotidiano de um jeito que atinge a gente em cheio. Não sei como você poderia explicar para o Dudu, mas além de virar bicho algumas pessoas hoje querem morar na jaula e virar prisioneiras de outras. No bairro onde moro há 30 anos, em Nova Lima, estamos sendo prcessados na justiça por alguns vizinhos porque não concordamos em virar condomínio, desprezar o poder público e colocar uma milícia para tomar conta das nossas casas. Querem nos obrigar a voltar ao feudalismo! Apesar da "violência" sei que poderíamos viver melhor e com mais segurança se as mentalidades fossem mais amigas e voltadas para a comunidade em vez do individualismo. Abraços com muita saudade.

[Sobre "Poeirópolis (como no início do século XX)"]

por Áurea Thomazi
2/8/2009 às
18h22 189.107.44.53
 
Matou a pau!
Ana Elisa, sem mais comentários. Gostei muito do texto todo, mas o último parágrafo "matou a pau"! Grande abraço, Áurea

[Sobre "Cupido era o nickname dele"]

por Aurea Thomazi
15/5/2009 às
10h50 200.169.200.7
 
Só entendem o óbvio
Andréa, fico impressionada como tanta gente que parece se considerar "entendida, crítica e consciente" não entende o sarcasmo, a ironia da sua mensagem, e se mostra indignada. Tem pessoas que acreditam que "pensam", mas só compreendem o óbvio. Parabéns pelo seu texto, mas da próxima vez talvez você tenha que ser mais "óbvia", para que a maior parte das pessoas possa compreender sua mensagem.

[Sobre "Um conselho: não leia Germinal"]

por Áurea Thomazi
25/4/2009 às
23h44 189.107.23.223
 
O Natal e as crianças
Pilar, é a primeira vez que leio um texto seu. Gostei demais! Ainda bem que você ganhou o carrinho de bonecas, caso contrário, eu ficaria muito frustrada. Também questiono o capitalismo e o consumismo, embora não tanto quanto seu pai. Mas acho muito importante dar lugar para a imaginação, a fantasia, a poesia e a alegria das crianças. Em geral, com muito pouco elas ficam felizes. O que faz o Natal bonito são as crianças. Parabéns e obrigada pelo presente. Vou procurar outros na "árvore" do Digestivo. E Feliz Natal pra você! Áurea

[Sobre "O Natal somos nozes"]

por Áurea Thomazi
17/12/2008 à
00h12 189.107.33.11
 
Comentário para o Dudu
Ana Elisa, desta vez meu comentário vai para o Dudu (é Eduardo né? mas Dudu é mais gostoso): Oi, Dudu. Gostei muito dos seus livros preferidos. Vou indicar para as professoras darem para seus alunos. Você está de parabéns e com a sua ajuda agora é que a sua mãe vai mais longe ainda. Uma vez eu mandei um livro para você da "Asa de papel", lembra? Quero muito te conhecer de perto, tá? Um beijinho na ponta do seu nariz. Áurea.

[Sobre "Presente de grego?"]

por Áurea Thomazi
15/12/2008 às
18h52 189.107.40.56
 
Adorei o Dudu!
Ana, que gostoso o Dudu! E parte disso é a convivência com você, as conversas que vc tem com ele, o que ele ouve vc dizer, pode ter certeza. Já faz muito tempo que não escuto coisas assim de criança pequena. Acho muito legal anotar essas coisas que as crianças falam. Tenho um caderninho dos meus filhos com essas "tiradas", como dizia minha mãe. Ela também anotava o que dizíamos para contar para meu pai que trabalhava os 3 horários e não tinha tempo de nos ver crescer. E mesmo depois de grandes ela nos contava também. Tenho certeza de que o Dudu vai gostar muito de ler as histórias dele quando crescer. Ah, quero conhecê-lo ainda antes que ele cresça tá? Abraços, Áurea

[Sobre "Coisa de menino"]

por Áurea Thomazi
6/12/2008 às
18h31 189.107.64.201
 
Lucrando com o tempo perdido
Ana Elisa, fiquei emocionada com seu texto, porque nasci e vivi durante muitos anos também em um bairro simples bem parecido com o que você contou. Lembro-me principalmente desses momentos que a gente chama de "jogar conversa fora". O tempo passa, mas de um jeito diferente. É uma delícia o que sentimos, só que não sabemos expressar como você. Parabéns!

[Sobre "Minha coleção de relógios"]

por Áurea Thomazi
6/11/2008 às
14h24 189.107.57.5
 
Ordinário em extraordinário
Ana Elisa, como sempre, o seu texto transforma o ordinário em algo extraordinário. Muito gostoso de ler. Só por curiosidade, você já mudou para a casa nova? Abraços com saudade da Áurea

[Sobre "Ligações e contas perigosas"]

por Àurea Thomazi
27/8/2008 às
11h04 189.83.208.17
 
sabe-tudo não sabe nada.
Ana, como sempre você escreve bem o que pensamos e sentimos. Tenho para mim que esse "sabe-tudo" não sabe nada. Meus professores mais sábios eram também os mais humildes. Uma variação disso: uma amiga me dizia que as pessoas que "precisam" mostrar que são ricas é porque não o são. Quem é rico de verdade, em geral prefere ser mais discreto e essa amiga citava os dizeres de sua avó: "cofrinho vazio, com poucas moedas é que faz barulho".

[Sobre "Sabe-tudo dá plantão em boteco paulistano"]

por Áurea Thomazi
31/7/2008 às
09h46 189.83.232.201
 
Além das reuniões!
Oi, Ana, que bom te ler novamente. Já estava preocupada. Toda sexta, abro o Digestivo e não te acho. Pensei "deve estar de férias, deve estar no Flip ou, então, vai dar um intervalo mensal em vez de quinzenal". Entendo perfeitamente o que você diz. Muitas vezes me sinto perdida com tanta informação e tantos meios de comunicação (além das reuniões!!!), que chego a me sentir meio esmagada. Tem dias que até dá vontade de largar tudo e ficar na roça incomunicável e vivendo em um ritmo mais "humano". Precisamos degustar mais as comunicaões, as informações, as relações... Temos mesmo que poder escolher e digerir com mais calma. Por isso gosto tanto do Digestivo. Minha mãe dizia "não podemos abraçar o mundo com as pernas". Mas, por favor, não deixe essa coluna! Não nos abandone! Abraço grande, Áurea

[Sobre "O Twitter e as minhas escolhas"]

por Áurea Thomazi
11/7/2008 às
14h27 189.83.215.157
 
De volta para o século XIX
Ana, adorei seu texto, como sempre. Fiquei pensando em o que, além da escola, afasta as pessoas dos livros, da literatura. Tem um aspecto psicológio também nisso tudo, não é? Mas que bom seria se mais pessoas pudessem ter acesso a esse mundo das letras. Para desmistificar um pouco o "Machado", tenho lido o Conto da Escola nas aulas de sociologia da educação e antes anuncio: agora vamos nos transportar para uma sala de aula do século XIX... Acho que é pouco mas já é um toque, uma semente. Abraços com saudade.

[Sobre "Meus segredos com Capitu"]

por Áurea Thomazi
12/6/2008 às
16h22 189.83.202.188
 
Mãe, você é baba-ovo da AnaE
Ana, eu sou uma dessas suas fãs que te acompanham e catam tudo que você escreve. Como diz a minha filha: "mãe você é baba ovo da Ana Elisa". Mas não tem jeito, pelo menos até hoje, gosto de tudo que você escreve. O dia que não gostar, eu digo. Fui no lançamento do seu livro para te abraçar e ganhar o autógrafo fresquinho. Não demorei e não dei nem uma espiadinha na fresta. Deixei para quando chegasse em casa, sozinha, sossegada, igual comer chocolate escondido, sem dividir com ninguém. Ainda estou desgustando-o. Delicioso! Daqui a pouco, sim, começo a mostrá-lo para os outros e comprar outros exemplares para presente. Não arrisco emprestar o meu. Parabéns!!! Um grande abraço!

[Sobre "Ao leitor, com estima e admiração"]

por Áurea Thomazi
9/5/2008 às
14h30 201.78.173.249
 
a ditadura da homogeneização
Ana, acredito que qualquer forma de imposição ou de modismos é terrível. Costumo até ter uma resistência àquilo que todo mundo gosta, todo mundo faz ou todo mundo usa sem questionar (roupa, filme, música, livro, lazer, esporte...) Me dá antipatia. Quando morei na França por força das circunstâncias (podia ter sido Holanda, Curitiba, Pedra Azul, Goiânia, Boa Esperança, Quito ou outro lugar qualquer), conheci muitas coisas, novidades ou não, e o que me interessava era principalmente a cultura, o modo de ser e viver do povo, o cotidiano da "gente" do lugar. Mas lembro-me que eu mesma me cobrava um pouco desse consumismo e, na véspera de vir embora, findo os quase 5 anos fui correndo visitar o Louvre, pensando: se eu não for, que desculpa eu poderia dar? É a ditadura da homogeneização. Obrigada pelo desabafo. Beijos

[Sobre "Se um dia, uma culta viajante..."]

por Áurea Thomazi
21/2/2008 às
14h41 201.78.149.162
 
Gosto mais de voltar
Querida Ana, Incrível como nos parecem familiares essas pequenas e tão interessantes histórias. Gosto muito de viajar, mas adoro voltar. Uma vez, ainda criança, questionada pela minha avó por que preferia voltar para minha casa ao invés de dormir e ser paparicada na casa dela, eu respondi: porque quero ir para a casa que Deus me deu! Por falar nisso, venha passar uma tarde na minha casa nessas férias. Beijos. Áurea

[Sobre "Máximas"]

por Áurea Thomazi
18/1/2008 às
21h12 201.78.197.248
 
Julio Daio Borges
Editor
mais comentários

Digestivo Cultural
Histórico
Quem faz

Conteúdo
Quer publicar no site?
Quer sugerir uma pauta?

Comercial
Quer anunciar no site?
Quer vender pelo site?

Newsletter | Disparo
* Twitter e Facebook
LIVROS




Perdoem Nossos Prazeres
Sandra Russo
V e R
(2006)
R$ 8,38



Caixa Especial Estilo de Vida - 5 Vol.
Fernando A. Lucchese
L&pm
(2010)
R$ 73,00



Força Interior
Carlos França
Círculo do Livro
(1988)
R$ 5,00



Técnicas Operantes na Sala de Aula
Lloyd Homme e Outros Autores
De Brasília
(1971)
R$ 5,00



Mulher Aranha de Volta à Batalha
Universo do Renascimento
Panini Comics
R$ 6,00



Brilhe a Tua Luz
S. João Bosco
Pallotti
(1988)
R$ 15,00



A Sociologia de Anthony Giddens
Jean Nizet
Vozes
(2016)
R$ 38,95



Mitos e Verdades Perguntas e Respostas Radiações 9047
Luiz A. M. Scaff
Barcarola
(2002)
R$ 12,00



Globo rural--116--rainhas do mel.
Editora globo
Globo
(1995)
R$ 16,00



Gratuita 2 Volumes
Maria Carolina Fenati (org)
Chão da Feira
(2015)
R$ 30,00





busca | avançada
77579 visitas/dia
2,1 milhões/mês