Comentários de Eliana de Freitas | Digestivo Cultural

busca | avançada
69585 visitas/dia
2,2 milhões/mês
Mais Recentes
>>> Pauta: E-books de Suspense Grátis na Pandemia!
>>> Hugo França integra a mostra norte-americana “At The Noyes House”
>>> Sesc 24 de Maio apresenta programação de mágica para toda família
>>> Videoaulas On Demand abordam as relações do Homem com a natureza e a imagem
>>> Irene Ravache & Alma Despejada na programação online do Instituto Usiminas
* clique para encaminhar
Mais Recentes
>>> A pintura do caos, de Kate Manhães
>>> Nem morta!
>>> O pai tá on: um ano de paternidade
>>> Prêmio Nobel de Literatura para um brasileiro - I
>>> Contentamento descontente: Niketche e poligamia
>>> Cinemateca, Cinemateca Brasileira nossa
>>> A desgraça de ser escritor
>>> Um nu “escandaloso” de Eduardo Sívori
>>> Um grande romance para leitores de... poesia
>>> Filmes de guerra, de outro jeito
Colunistas
Últimos Posts
>>> A última performance gravada de Jimmi Hendrix
>>> Sebo de Livros do Seu Odilon
>>> Sucharita Kodali no Fórum 2020
>>> Leitura e livros em pauta
>>> Soul Bossa Nova
>>> Andreessen Horowitz e o futuro dos Marketplaces
>>> Clair de lune, de Debussy, por Lang Lang
>>> Reid Hoffman sobre Marketplaces
>>> Frederico Trajano sobre a retomada
>>> Stock Pickers ao vivo na Expert 2020
Últimos Posts
>>> Três tempos
>>> Matéria subtil
>>> Poder & Tensão
>>> Deu branco
>>> Entre o corpo e a alma
>>> Amuleto
>>> Caracóis me mordam
>>> Nome borrado
>>> De Corpo e alma
>>> Lamentável lamento
Blogueiros
Mais Recentes
>>> A visão certa
>>> É Julio mesmo, sem acento
>>> Asia de volta ao mapa
>>> 7 de Setembro
>>> Rebelde aristocrático
>>> Cócegas na língua
>>> Animazing
>>> Robinson Shiba do China in Box
>>> Anjos e Demônios, o filme, com Tom Hanks
>>> Quem tem boca vai a Roma
Mais Recentes
>>> Minha vida de menina de Helena Morley pela Companhia das Letras (2020)
>>> Minha formação de Joaquim Nabuco pela 34 (2020)
>>> Mestre da Critica de Vários autores pela Topbooks (2020)
>>> Memórias para servir à História do Reino do Brasil de Luís Gonçalves dos Santos pela Senado (2020)
>>> Memórias de um Sargento de Milícias de Manuel Antônio de Almeida pela Abc (2020)
>>> A Unica Esperança de Alejandro Bullon pela Casa Publicadora Brasileira (2013)
>>> Memórias de Carlota Joaquina de Marsilio Cassotti pela Planeta (2020)
>>> Marquês de São Vicente de Eduardo Kugelmas pela 34 (2020)
>>> Machado de Assis & Joaquim Nabuco. Correspondência de Graça Aranha pela Topbooks (2020)
>>> Obra Completa de Luis De Camoes pela Nova (2020)
>>> Literatura e Sociedade de Antônio Candido pela Ouro sobre Azul (2020)
>>> O Tigre na Sombra de Lya Luft pela Record (2012)
>>> Juca Paranhos, o Barão do Rio Branco de Luís Cláudio Villafañe G. Santos pela Companhia das Letras (2020)
>>> Ingleses no Brasil de Gilberto Freyre pela UniverCidade (2020)
>>> Histórias da Gente Brasileira. República. Memórias. 1889-1950 - Volume 3 de Mary Del Priore pela Leya (2020)
>>> Histórias da gente brasileira - Império - Vol. 2 de Mary Del Priore pela Leya (2020)
>>> Histórias da gente brasileira - Colônia - Vol. 1 de Mary Del Priore pela Leya (2020)
>>> Tensoes Mundiais Volume 4 Numero 5 de Manoel Domingos Neto e Monica Dias Martins pela Observatorio das Nacionalidades (2008)
>>> História econômica do Brasil de Roberto C. Simonsen pela Senado (2020)
>>> História dos Fundadores do Império do Brasil - 7 volumes - coleção completa de Otávio Tarquínio de Sousa pela Senado (2020)
>>> História do Brasil: Uma interpretação de Mota, Carlos Guilherme and Lopez, Adriana pela 34 (2020)
>>> História do Brasil de Boris Fausto pela Edusp (2020)
>>> Historia da Vida Privada Em Portugal: Volume 1 Idade Média de Direção de José Mattoso pela Abc (2020)
>>> Historia da Vida Privada Em Portugal: OS Nossos Dias de Direção de José Mattoso pela Abc (2020)
>>> História da saúde no Brasil de Luiz Antonio Teixeira (Compilador), Tânia Salgado Pimenta (Compilador), Gilberto Hochman (Compilador) pela Hucitec (2020)
>>> História da Arte no Brasil: Textos de Síntese de Myriam Andrade Ribeiro de Oliveira, Angela Ancora da Luz, Sonia Gomes Pereira pela Ufrj (2020)
>>> Temas de Direito Constitucional Volume 1 de Luís Roberto Barroso pela Renovar (2002)
>>> História Da América Portuguesa de Sebastião Da Rocha Pita pela Senado (2020)
>>> História da Alimentação no Brasil de Luís da Câmara Cascudo pela Global (2020)
>>> No caminho de Swann. de Marcel Proust pela Globo (2003)
>>> Hipólito José da Costa de Sergio Goes de Paula pela 34 (2020)
>>> Serious Candida Infections: Risk Factors, Treatment and Prevention de John H. Rex e Françoise Meunier Editores pela Pfizer (1995)
>>> Grande Reforma Urbana Do Rio De Janeiro, A: Pereira Passos, Rodrigues Alves E As Ideias De Civilização E Progresso de Andre Nunes De Azevedo pela PUC Rio (2020)
>>> Natural Racional Social - Razão Médica e Racionalidade Científica Moderna. de Madel T. Luz pela Campus (1988)
>>> Getúlio 3 (1945-1954) de Lira Neto pela Companhia das Letras (2020)
>>> Getulio 1930-1945: Do Governo Provisorio Ao Estado Novo de Lira Neto pela Companhia das Letras (2020)
>>> Para gostar de ler. Vol.4 - Crônicas.. de Vários pela Ática (1980)
>>> Getúlio 1 (1882-1930) de Lira Neto pela Companhia das Letras (2020)
>>> Viver o Amor. de José Carlos Pedroso pela Edições Paulinas (1978)
>>> General Osorio de Doratioto, Francisco pela Companhia das Letras (2020)
>>> Ganhadores: A greve negra de 1857 na Bahia de João José Reis pela Companhia das Letras (2020)
>>> Formação de Cidades no Brasil Colonial de Santos, Paulo Ferreira pela Ufrj - IPHAN (2020)
>>> Flores votos e balas de Alonso, Angela pela Companhia das Letras (2020)
>>> A Saude dos Filhos de E. Nauta pela Circulo do Livro (1987)
>>> Gibi Mônica N°8. Lendas da Jumenta Voadora de Mauricio de Sousa Editora pela Panni Comics (2007)
>>> Ficção e Confissão de Antônio Candido pela Ouro sobre Azul (2020)
>>> Essencial padre Antônio Vieira: o que o turista deve ver de Vieira, Padre Antônio and Bosi, Alfredo pela Penguin (2020)
>>> Gibi Mônica N°83 A árvore encantada de Mauricio de Sousa Editora pela Panni Comics (2013)
>>> Escravidão - Vol. 1: Do primeiro leilão de cativos em Portugal até a morte de Zumbi dos Palmares de Laurentino Gomes pela Globo Livros (2020)
>>> Esaú e Jacó de Assis, Machado de pela Abc (2020)
COMENTÁRIOS >>> Comentadores

Segunda-feira, 13/9/2010
Comentários
Eliana de Freitas


Seria fabuloso o Vandré voltar
Seria fabuloso se ele voltasse, abrisse o peito, contasse sua jornada a nós, aos jovens, mas isto é uma fantasia. Algúem que há muito aprendeu a dizer não e ver a morte sem chorar, já era forte o bastante para, quando decepcionado com esta terra, construir a muralha que o separaria do escombro brasileiro pós-ditadura.

[Sobre "Geraldo Vandré, 70 anos"]

por Eliana de Freitas
http://www.elianadefreitas.recantodasletras.com.br
13/9/2010 às
13h40 200.171.248.6
 
Preferi montar a minha editora
Discordo de você, em certas partes. Temas como sem-terras e trabalhadores do campo são interessantes, e acredito que, se o grande público conhecesse a sua narrativa, iria comprar e recomendar. No entanto, o que dita a regra de consumo é a grande mídia, então, se não virou minissérie, nem filme, e o autor não é celebridade ou esteve envolvido em nenhum escândalo, fica difícil o livro ganhar espaço de divulgação, não ganha nem vitrine na livraria que pegou o exemplar consignado. Outra forma de vender é se o mercado educativo adotar, porém, temos a barreira do catedrático se dispor em conhecer autores e obras novas, eles quase não têm tempo ou interesse, é mais fácil ater-se aos cânones. Eu preferi montar a minha editora, não sei como será ter que dividir a atenção entre escrever, produzir, vender e lançar, o tempo dirá!

[Sobre "Confissões de um escritor"]

por Eliana de Freitas
http://www.elianadefreitas.recantodasletras.com.br
13/9/2010 às
13h20 200.171.248.6
 
Uma sociedade alienada
Infelizmente, uma sociedade alienada interessa a todos nós, brasileiros. A nossa sociedade produz reduzidos benefícios gerais, com recursos de todos, mas não para atender a todos, então se estabelece o esquema de acesso. E os esquemas de acesso não são implantados por governo, empresas, são implantados por pessoas, cada cidadão consulta sua base ética e produz, pede ou participa de algum destes esquemas. Há um anseio para conhecer ou participar de algum esquema, em diferentes graus, por diferentes objetivos, mas o anseio é geral. Quando tento fazer parte de um network de alguém só porque tem certo poder, quando uso o dinheiro para comprar conduta, quando concordo em não girar a catraca no ônibus por conhecer o motorista, quando protocolo um processo na alçada de alguém que é amigo, do amigo, do vizinho, reafirmo que há um sistema que aliena e que eu quero fazer parte dele. E embora educação seja muito importante neste processo todo, não é a falta dela que constrói uma sociedade.

[Sobre "A quem interessa uma sociedade alienada?"]

por Eliana de Freitas
http://www.elianadefreitas.recantodasletras.com.br
12/9/2010 às
12h52 189.102.112.253
 
Movimento literário constante
As imagens que marcaram: autor de quadrinhos tratado como popstar e milhares de pessoas consumindo literatura, concordo, são imagens de Bienal. Mas note, o nome já diz: Bienal, movimento a cada dois anos. A educação que transforma o bruto tem que ser diária, cotidiana. A Bienal, sem desmerecê-la, é elitizada, para poucos. Precisamos que saraus, feiras de livros, movimentos literários periféricos sejam incentivados, precisamos que a literatura não tenha apenas palco para estrelas, estas ficam longe da terra. Há que se trabalhar na comunidade em que se vive, juntando a família e amigos para ler uns aos outros, tal qual fazemos para jogos de futebol e último capítulo de novela. Isto, sim, seria impressionante. A Bienal é maravilhosa, mas também, com as verbas e incentivo que tem, não poderia ser diferente. É um evento livreiro que marca a vida, precisamos de movimento literário que componha a vida.

[Sobre "A Bienal do Livro ― diário de bordo"]

por Eliana de Freitas
http://www.elianadefreitas.recantodasletras.com.br
10/9/2010 às
11h48 200.171.248.6
 
Não é tão simples assim
Caro Rafael, querer ser lido é inerente à maioria dos autores, mas atingir este objetivo não é "simples assim". Se você não é um autor conhecido, vai à Bienal para autografar e fica horas sem vender um único livro. Mesmo que você bata altos papos com leitores, troque ideias incríveis, somente um, outro ou mais provavelmente nenhum, comprará o seu livro. A não ser que, além de escritor, você seja bom vendedor. E note que, para chegar lá, no Anhembi, você teve que ter agenda livre, pagar combustível, estacionamento e, se passar o dia, terá que comer. Sem nenhum livro vendido, a verba terá de ter vindo de outra fonte de renda. Outro ponto: se você não está estabelecido por uma editora, não tem ponto de venda na Bienal, nas livrarias ou na Flip. Em Paraty, autores que vendiam seus livros na rua foram repreendidos por policiais. Esses são os fatos que não nos permitem sermos lidos.

[Sobre "Escrevemos para nós mesmos (?)"]

por Eliana de Freitas
http://www.elianadefreitas.recantodasletras.com.br
10/9/2010 às
11h08 200.171.248.6
 
Só sei que nada sei
Para que o Cristianismo? Para que o homem exerça a humildade. Somos geniais, descobridores do universo e agora criamos a vida sintética, porém, por não sermos Deus, ou por não sermos verdadeiramente cristãos, como queiram, cada façanha nossa reverte-se em poder e arrogância. Quanto mais conhecimento, mais soberba... Que pequenez! Nós, os pensadores, deveríamos ser os primeiros a admitir que, para os mistérios do universo, para a existência ou não da alma, para a existência ou não de Deus, a resposta correta é: Só sei que nada sei.

[Sobre "Para que o Cristianismo?"]

por Eliana de Freitas
http://www.elianadefreitas.recantodasletras.com.br
7/6/2010 às
09h17 200.171.248.6
 
Amar sempre vale a pena
Amar sempre vale a pena. Aliás, não só a pena, mas a caneta, o lápis, a tecla... O que mais traria tanto sentido a uma bela história, seja contatada ou vivida, do que o amor?

[Sobre "Dos amores possíveis"]

por Eliana de Freitas
http://www.elianadefreitas.recantodasletras.com.br
30/3/2010 às
08h52 200.171.248.6
 
A vida é uma só
Estou com o poetinha Vini­cius de Moraes: a vida é uma só, companheiro... Não acredito em reencarnação, esta vida é maravilhosa, o bem e o mal, a natureza, a diversidade, a capacidade da mente; essa grandiosidade engenhosa que é o mundo, ao homem deveria bastar numa única vez. Deveria, ah se não deveria, diria um paizão de todos nós. [São Paulo - SP]

[Sobre "Promoção 7 Vidas"]

por Eliana de Freitas
9/7/2009 às
10h39 200.171.141.204
 
Dawkins é um divino espírito
Eu classifico Richard Dawkins como um delírio, pelo significado 2 do "Aurélio": exaltação do espírito. Estive na Flip, ele é um divino espírito. Richard dividiu conosco sua agonia em ver seu trabalho de divulgação de "A origem das espécies", de Darwin, sabotado. Nos livros didáticos, segundo ele, a palavra "evolução" muitas vezes vem entre parênteses; antes, a disseminação dos conhecimentos científicos era ridicularizada apenas em meios educacionais americanos, hoje, na Europa, já ocorre, não só pela influência americana, mas também pela crescente presença islâmica. Assim, o princípio norteador da biologia é subjugado, dizem que em respeito à fé; eu digo que não, se desrespeitam as evidências e as pessoas que as produzem é em nome do medo e do orgulho... Medo do desconhecido. Orgulho por presumirem-se detentores de verdades absolutas, o que, neste mundo, ninguém tem, detém ou conhece, isso só Deus. E, Deus: o que diria sobre a teoria da evolução? Continuo no site...

[Sobre "A Grande História da Evolução, de Richard Dawkins"]

por Eliana de Freitas
http://www.elianadefreitas.recantodasletras.com.br
8/7/2009 às
17h57 200.171.141.204
 
Scliar me serviu de exemplo
"Não importa quantas pessoas a compartilhem, a ideia não se reduz. Quando escuto sua ideia, ganho conhecimento sem diminuir nada seu." (Thomas Jefferson) Tenho vivido dias de ansiedade e insegurança, são novos trabalhos, concursos, gente nova, então, ensino e me entrego; mas recebo críticas por dar-me tão gratuitamente. Além das por inspirar-me em filmes, livros; assim foi o "Dois dedos de prosa"; O BOPE lá em casa, e até mesmo esse para o Digestivo, cujo título peguei do texto do Scliar. Este "Estranho incidente literário" trouxe-me várias respostas. Dizem que melhor seria aos escritores terem perguntas, mas me fez bem relaxar após tanta busca. Esperar ficar contentinha e, não, feliz, diminui qualquer ansiedade. Ver a sabedoria do Moacyr ao lidar com essa peleja que o envolveu, me serve de exemplo. E, se a mídia só acende holofotes para os maus acontecimentos, é até bom passar despercebida, escrevendo dia após dia. Só me falta um cachimbo para celebrar esta paz...

[Sobre "Um estranho incidente literário"]

por Eliana de Freitas
http://www.elianadefreitas.recantodasletras.com.br
19/6/2009 às
16h04 200.171.141.235
 
Pela desarmonia do mundo
O melhor lugar para escrever? Onde a inspiração venha, seja num bordel, com todo o estresse dum local impróprio à nossa imagem pública; no escritório, mesmo naquele dia lotado de prazos finais; em casa, com aquele monte de parentes cobrando a nossa atenção ou o feijão já queimando... O melhor lugar para se escrever é onde a vontade de escrever chega. Pelo menos para mim, ao iniciar um texto. Depois, ah... o depois. O engajamento que levará a cabo um texto depende muito da nossa capacidade de imposição de limites, isso para aqueles que não são escritores profissionais e gastam os recursos próprios e de terceiros para manter essa mania. Sim, porque, enquanto escrever não trouxer retorno financeiro, para os que nos cercam não passa de uma mania. Mania de escrever para participar de um concurso, mania de escrever para escancarar o que todos sabem, mania de escrever só para dar vida a palavras que não querem ser esquecidas, mania de se entregar até que o mundo desarmônico deixe de nos tocar.

[Sobre "As pessoas, os escritores"]

por Eliana de Freitas
http://www.elianadefreitas.recantodasletras.com.br
11/5/2009 às
19h06 200.171.141.99
 
De tão humana, uma obra divina
Chico é intemporal e universal. A beleza lhe era cativa, e ele a colocou em tudo o que fez. Não sei se por obra de Deus ou da natureza, os olhos de Chico viam a essência das coisas: a mulher além da emancipação, o homem além do machismo, a puta além da pornografia, o mundo além dos interesses. Na essência tudo é simples, verdadeiro e harmonioso quer seja aqui, ou lá, na vida do pobre, do bacana, do amado, do largado, tudo se iguala. Acredito que foram a visão e a consciência da importância da beleza, e também que a determinação de ser e se sentir livre, independente do redor, que culminaram na criação perfeita de sua obra, a qual cada vez que estudo me pergunto: como sempre senti e não pude exprimir isso? Chico Buarque sabe falar por mim, até hoje, sobre as coisas que sei; e até sobre coisas que ainda não sei...

[Sobre "Chico Buarque falou por nós"]

por Eliana de Freitas
http://www.elianadefreitas.recantodasletras.com.br
20/2/2009 às
13h36 201.0.94.217
 
Atenção e desatenção
A vaidosa que namora troca a atenção de todos os homens pela desatenção de um só. [São Paulo - SP]

[Sobre "Promoção Mario Quintana"]

por Eliana de Freitas
18/4/2008 às
23h33 200.158.237.39
 
Obrigado, mestre Quintana
Mesmo que eu percorra todos os teus caminhos, mesmo que eu ache todos os teus sonhos que perderam-se no tempo, ainda me faltará a elegância e a sinceridade para comigo e com os outros, que acredito, poeta, você as teve em abundância, além das palavras que a ti foram cativas. Tudo isto fez com que sua obra seja luz, esperança e verdade, muito mais do que qualquer outra possa ser.

[Sobre "Frases de Mario Quintana"]

por Eliana de Freitas
http://www.elianadefreitas.recantodasletras.com.br
18/4/2008 às
17h34 200.158.237.39
 
Autor ou obra: quem é maior?
Amei o texto, mas o título está aquém da narração, você foi muito além, e foi corajoso. Estive na Flap no ano passado e saí exatamente com esta impressão: tem muita gente que, por trabalhar com literatura, se confunde com Deus. Eu concordo que quando criamos personagens, situações e escolhemos o final para cada história, nos tornamos deuses. Mas não nos enganemos: é só uma história, um livro, assim como disse Claude Monet, ao ser interrogado sobre uma mulher que ele pintou ser azul: "Meu caro, você é que é louco, isto não é uma mulher, é só uma pintura." O livro, a literatura, assim como outras expressões artísticas, têm o poder de agir e até interferir na vida dos seres, mas lembremo-nos: isso depende do leitor e quem fez essa interseção foi a obra, e não o autor.

[Sobre "A literatura e seus efeitos"]

por Eliana de Freitas
http://www.elianadefreitas.recantodasletras.com.br
28/3/2008 às
20h09 200.158.237.79
 
Julio Daio Borges
Editor
mais comentários

Digestivo Cultural
Histórico
Quem faz

Conteúdo
Quer publicar no site?
Quer sugerir uma pauta?

Comercial
Quer anunciar no site?
Quer vender pelo site?

Newsletter | Disparo
* Twitter e Facebook
LIVROS




ILLUMINATI
PAUL H. KOCH
PLANETA
(2005)
R$ 20,00



CRIATIVIDADE PARA ADMINISTRADORES
JOSÉ LUIZ HESKETH
VOZES
(1983)
R$ 5,00



THE OUTLOOK FOR HOMO SAPIENS
H. G. WELLS
SECKER AND WARBURG (LONDRES)
(1946)
R$ 15,28



A GRANDE BARREIRA
J. L. MAYA PEDROSA
BIBLIEX
(1998)
R$ 14,00



FIABE ITALIANE INVENTATE DAI BAMBINI D´OGGI
MARIO LODI
MONDADORI
(1993)
R$ 25,00



PORTUGUÊS 8º ANO - LEITURA, PRODUÇÃO, GRAMÁTICA -
LEILA LAUAR SARMENTO
MODERNA
(2009)
R$ 9,90



BIOÉTICA UMA CONTRIBUIÇÃO ESPÍRITA
FRANCISCO CAJAZEIRAS
EME
(2008)
R$ 6,90



ADOLESCÊNCIA ATÍPICA E SEXUALIDADE
MAX SUGAR
ARTES MÉDICAS
(1992)
R$ 10,00



NOSSA ANTOLOGIA
VÁRIOS
NÃO CONSTA
R$ 5,00



ENCICLOPÉDIA DA NATUREZA VOL. 3 TOMO III - O ÁTOMO
DR. FRITZ KAHN
MELHORAMENTOS
R$ 12,00





busca | avançada
69585 visitas/dia
2,2 milhões/mês