Comentários de Irene Fagundes Silva | Digestivo Cultural

busca | avançada
58048 visitas/dia
2,2 milhões/mês
Mais Recentes
>>> Nos 30 anos, Taanteatro faz reflexão com solos teatro-coreográficos
>>> ‘Salão Paulista de Arte Naïf’ será aberto neste sábado, dia 27, no Museu de Socorro
>>> Festival +DH: Debates, cinema e música para abordar os Direitos Humanos
>>> Iecine abre inscrições para a oficina Coprodução Internacional para Cinema
>>> MAB FAAP recebe a exposição Ensaios de Inclusão
* clique para encaminhar
Mais Recentes
>>> Eleições na quinta série
>>> Mãos de veludo: Toda terça, de Carola Saavedra
>>> A ostra, o Algarve e o vento
>>> O abalo sísmico de Luiz Vilela
>>> A poesia com outras palavras, Ana Martins Marques
>>> Lourival, Dorival, assim como você e eu
>>> O idiota do rebanho, romance de José Carlos Reis
>>> LSD 3 - uma entrevista com Bento Araujo
>>> Errando por Nomadland
>>> É um brinquedo inofensivo...
Colunistas
Últimos Posts
>>> A história de Claudio Galeazzi
>>> Naval, Dixon e Ferriss sobre a Web3
>>> Max Chafkin sobre Peter Thiel
>>> Jimmy Page no Brasil
>>> Michael Dell on Play Nice But Win
>>> A história de José Galló
>>> Discoteca Básica por Ricardo Alexandre
>>> Marc Andreessen em 1995
>>> Cris Correa, empreendedores e empreendedorismo
>>> Uma história do Mosaic
Últimos Posts
>>> Desigualdades
>>> Novembro está no fim...
>>> Indizível
>>> Programador - Trabalho Remoto que Paga Bem
>>> Oficinas Culturais no Fly Maria, em Campinas
>>> A Lei de Murici
>>> Três apitos
>>> World Drag Show estará em Bragança Paulista
>>> Na dúvida com as palavras
>>> Fly Maria: espaço multicultural em Campinas
Blogueiros
Mais Recentes
>>> O melhor de 2008 ― literatura e cinema
>>> Depressão
>>> Útil paisagem
>>> Tradução e acesso
>>> A proposta libertária
>>> Francis Ford Coppola
>>> Em terra de cego, quem tem olho é Pelé
>>> No início, era o telex
>>> Viagem a 1968: Tropeços e Desventuras
>>> Os Doze Trabalhos de Mónika. 3. Um Jogo de Poker
Mais Recentes
>>> Cruzando o Desconhecido de David Whyte pela Negócios (2002)
>>> Deus Só Recebe aos Domingos de Virgil Gheorghiu pela Bibliex (1986)
>>> Psicologia Infantil de Fernando Parolari Novelho pela Edições Paulinas (1987)
>>> A Cidade de Quatros Portas de Doris Lessing pela Record (1969)
>>> Muito Além do Nosso Eu de Miguel Nicolas pela Companhia das Letras (2011)
>>> 208 Maneira de Deixar um homen louco de desejo de Margot Saint Loup pela Ediouro (2000)
>>> Lições de um Empresário Radical de Ray C Anderson pela Cultrix (2009)
>>> Clinica do Bom Humor de Dr. Marcos Rovinski pela Age (1996)
>>> Zonas Úmidas de Charlotte Roche pela Objetiva (2008)
>>> Sob Clima de Fe de Pr. A Ramos pela Louva a Deus (1981)
>>> Gerenciando sem Recorrer a Soluções Paliativas de Ralph H Kilmann pela Qualitymarty (1997)
>>> O Bom Ladrãpo de Fernando Sabrino pela Ática (2006)
>>> O Misterio de Todos os Santos de Rafael Medeiros Augusto pela Allos (2010)
>>> Noite na Tavare - Coleção Prestigio de Ávares de Azevedo pela Ediouro (1996)
>>> Quiromancia de Evicena pela Pallas (1989)
>>> Comunicação Empresarial Eficaz de Katia Luizari pela Ibpex (2010)
>>> São Sebastião de Pe. Campos pela Paulinas (2007)
>>> Ecologia: Grito da Terra Grito dos Pobres de Leonardo Boff pela Sextante (2001)
>>> As Novas Regras da Comunidade Marketing na Mídia Social de Tamar Weinberg pela Alta Books (2010)
>>> Administração de Peter F Drucker pela Pioneira (1975)
>>> Pororoca Surfando na selva: As aventura do brasileiro que entrou para o guinness ao dominar a onda mais extensa do mundo de Serginho Laus pela Ediouro (2006)
>>> Educação: Truques Velhos, Palavras Gasta de Antonio Luiz Mendes de Almeidas pela Quórum (2004)
>>> Estado Capitalista e Burocracia no Brasil pós 64 de Luciano Martins pela Paz e Terra (1985)
>>> A Bíblia da Pequena Empresa de Paul Resnik pela Makron Books (1990)
>>> O Livro de Etiquêta: um guia para a vida elegante de Amy Vanderbilt pela Record (1962)
COMENTÁRIOS >>> Comentadores

Quarta-feira, 27/6/2007
Comentários
Irene Fagundes Silva


um tipo de lenda urbana
Guga, ii hoje teu texto sobre a pirâmide e gostei muito, concordo com a tua lista, mas também lembrei de vários outros para incluir. Aí cheguei neste texto sobre o pequeno príncipe e gostei mais ainda. Tentei apresentar aos meus filhos muitos títulos, mas só a menina, agora com 22 anos, leu O pequeno príncipe e agora mesmo estava me ajudando a convencer uma sobrinha, de 10 anos, a ler o livro. Ainda não conseguimos, mas tenho esperanças. Só para atualizar notícias sobre o autor, dá uma olhada neste site. O avião foi encontrado em 2003, mas todo mundo continua dizendo que nunca foi encontrado. Virou um tipo de lenda urbana, que todo mundo sabe e continua repetindo, mesmo com novas provas. Um abraço, Irene

[Sobre "Outra leitura para O pequeno Príncipe"]

por Irene Fagundes Silva
27/6/2007 às
09h35 201.54.48.6
 
Platão disse outra coisa
Lucas, está tudo muito bom, está tudo muito bem, mas não põe o Platão no meio. Olha só, Platão descreveu o amor com o sentimento de completude, aquela história de metade da laranja, alma gêmea e perfeição muito bem correspondida e realizada fisicamente, sim. No Romantismo, um personagem de Goethe, o jovem Werther, declarava seu amor platônico por uma mocinha e, por não ter seu amor retribuído, se mata. Pronto, estava feita a associação com amor platônico e não-realização. Naquela época muito mais gente leu Goethe que Platão, mas citar os gregos sempre pega bem, parece chique, de modo que até hoje permanece a idéia (errada) de amor platônico (=não correspondido), espiritualizado, não concretizado, idealizado. Você pode continuar romântico, fique à vontade, é muito bom para aprofundar a sensibilidade mas se você quer um amor platônico, vai ter que batalhar sua alma gêmea e ser feliz. Abraços, Irene.

[Sobre "Legião o quê?"]

por Irene Fagundes Silva
26/7/2006 às
10h40 201.54.48.6
 
dá uma preguiça de soletrar...
Julio, legal a breve história do teu nome. O meu, gaúcha com mãe filha de barão alemão com índia guarani (só no Brasil, mesmo) e pai bem brasileiro, era muito mais complicado. Irene von Groskopft Schlottfeldt Fagundes. Estes dois "t" eram um beta, som de dois esses em alemão, só para complicar. Eu mesmo tinha que soletrar lentamente a cada assinatura. Imagina em ficha de cadastro, portarias, chamadas, etc. Aí casei com um Silva (um atrativo a mais do meu marido) e, imediatamente, tirei os alemães. Agora, depois da morte da minha mãe e convivendo com as reclamações dos filhos, até me arrependo um pouquinho. Tenho um filho guitarrista que adotou o nome artístico de Lucas Schlotts e a minha filha recebe muita gozação por ser loira de olhos azuis e Silva. Agora que o Código Civil mudou, brinco que vou pedir o divórcio e casar de novo - com o mesmo Silva, só para recuperar o meu nome e mudar o dele. Mas dá uma preguiça de soletrar ... Abraços.

[Sobre "É Julio mesmo, sem acento"]

por Irene Fagundes Silva
31/3/2005 às
16h54 200.252.116.2
 
Auto-ajuda cínica
Andréa, você já leu este blog? É bem legal, satiriza quase todos os que eu li. É realmente uma pena que as nossas vidas não sejam tão facilmente reduzidas e resumidas como nos livros de auto-ajuda. Também tenho o hábito de ler mais de um livro ao mesmo tempo, os "simples" são para descansar a cabeça dos "sérios". É ótimo que existam os dois tipos, embora o espaço nas livrarias dos "simples" esteja crescendo muito. Abraços, Irene.

[Sobre "Como ser uma webcelebridade"]

por Irene Fagundes Silva
14/12/2004 às
14h58 200.252.116.2
 
Indiferença social
Texto lúcido e tristemente real. Há quase um ano, um primo meu foi morar com a família no Texas. Minha tia, mãe dele, telefona sempre para os netos, que estão terminando a high school. Nesta semana, perguntando sobre a violência na escola, um deles respondeu que não tinha sido muito ruim a semana, só acharam um punhal. Desde que eles chegaram, não se passam duas semanas sem que a polícia, que revista a entrada dos alunos, encontre armas, geralmente desmontadas. Agora estão levando cachorros treinados em descobrir drogas e pólvora. Os pais ou o conselho de administração não permitiram a instalação de detectores de metal, por considerarem ofensivos e depressivos. Revista e cachorros não são? Os alunos também não reagem ao aumento da repressão, pois também pensam que não é com eles. Que triste esta sociedade, não é? Será que o Brasil não está indo pelo mesmo caminho? Abraços e parabéns pela análise feita.

[Sobre "This is America"]

por Irene Fagundes Silva
8/3/2002 às
13h29 200.252.116.3
 
Julio Daio Borges
Editor

Digestivo Cultural
Histórico
Quem faz

Conteúdo
Quer publicar no site?
Quer sugerir uma pauta?

Comercial
Quer anunciar no site?
Quer vender pelo site?

Newsletter | Disparo
* Twitter e Facebook
LIVROS




Eu Sei por Que o Pássaro Canta na Gaiola
Maya Angelou
José Olympio
(1996)



O Escaravelho de Ouro e Outras Histórias
Edgard Allan Poe
Ática



Obsessão e cura
Carlos A. Baccelli & Inácio Ferreira
Didier
(2007)



Mídia Eletrônica - Seu Controle nos Eua e no Brasil
André Mendes de Almeida
Forense
(2006)



Die Geliehene Zeit: Roman
Diana Gabaldon
Blanvalet Taschenbuch Verlag
(1998)



Revista de Doutrina e Jurisprudência 27 - Agosto de 1988
Varios
Tjdf
(1988)



Amazon - Guerreiros da Amazônia - as Armaduras Sagradas - Vol. 2
Ronaldo Barcelos
Rjr
(2012)



Quem Matou Cristian Kustermann
Roberto Ampuero
Novo Seculo
(2009)



Economic development in the third world
Michael P. Todaro
Longman
(1989)



Espiritualismo cientifico a vida fora da matéria
Espiritualismo cientifico a vida fora da matéria
Sem





busca | avançada
58048 visitas/dia
2,2 milhões/mês