Comentários de Paulo Sérgio Vieira | Digestivo Cultural

busca | avançada
62861 visitas/dia
1,9 milhão/mês
Mais Recentes
>>> Airto Moreira e Flora Purim se despedem dos palcos em duas apresentações no Sesc Belenzinho
>>> Jurema Pessanha apresenta sambas clássicos e contemporâneos no teatro do Sesc Belenzinho
>>> Como se prevenir dos golpes dos falsos agentes no mundo da música?
>>> Cia. Sansacroma estreia “Vala: Corpos Negros e Sobrevidas“ no Sesc Belenzinho
>>> ARNS | De ESPERANÇA em ESPERANÇA || MAS/SP
* clique para encaminhar
Mais Recentes
>>> Eleições na quinta série
>>> Mãos de veludo: Toda terça, de Carola Saavedra
>>> A ostra, o Algarve e o vento
>>> O abalo sísmico de Luiz Vilela
>>> A poesia com outras palavras, Ana Martins Marques
>>> Lourival, Dorival, assim como você e eu
>>> O idiota do rebanho, romance de José Carlos Reis
>>> LSD 3 - uma entrevista com Bento Araujo
>>> Errando por Nomadland
>>> É um brinquedo inofensivo...
Colunistas
Últimos Posts
>>> O melhor da Deutsche Grammophon em 2021
>>> A história de Claudio Galeazzi
>>> Naval, Dixon e Ferriss sobre a Web3
>>> Max Chafkin sobre Peter Thiel
>>> Jimmy Page no Brasil
>>> Michael Dell on Play Nice But Win
>>> A história de José Galló
>>> Discoteca Básica por Ricardo Alexandre
>>> Marc Andreessen em 1995
>>> Cris Correa, empreendedores e empreendedorismo
Últimos Posts
>>> Brega Night Dance Club e o afrofuturismo amazônico
>>> Fazer o que?
>>> Olhar para longe
>>> Talvez assim
>>> Subversão da alma
>>> Bons e Maus
>>> Sempre há uma próxima vez
>>> Iguais sempre
>>> Entre outros
>>> Corpo e alma
Blogueiros
Mais Recentes
>>> O enigma de Lindonéia
>>> Não Aguento Mais a Empiricus
>>> Eleições na quinta série
>>> O que aconteceu com a Folha de S. Paulo?
>>> O regresso, a última viagem de Rimbaud
>>> Eleições 2014: intrigas, infâmias, alucinações
>>> Toda poesia de Paulo Leminski
>>> Les visiteurs
>>> A morte do leitor
>>> O historiador das idéias
Mais Recentes
>>> HQ V de Vingança de Alan Moore e David Lloyd pela Panini Comics (2007)
>>> HQ Pecador Originais 001 - Os Segredos do Universo Marvel! de Marvel comics pela Panini Comics (2015)
>>> HQ Authority Vol. 1 de Warren Ellis; Hitch; Neary pela Panini Comics (2015)
>>> HQ Superman Condenado V.1 Apocalypse: O Retorno de DC Comics pela Panini Comics (2015)
>>> HQ Antes de Watchmen Nº 7 Dollar Bill & Moloch de J. Michael Straczynski pela Panini Comics (2013)
>>> HQ Antes de Watchmen Nº 6 Ozymandias de Len Wein - Jae Lee pela Panini Comics (2013)
>>> HQ Antes de Watchmen Nº 4 DR. Manhattan de J. Michael Straczynski pela Panini Comics (2013)
>>> HQ Antes de Watchmen Nº 1 Coruja de J. Michael Straczynski pela Panini Comics (2013)
>>> HQ - Crise Infinita Batalha pelo Multiverso vol.1 de Dan Abnett pela Panini Comics (2015)
>>> HQ - Crise Infinita Batalha pelo Multiverso vol.2 de Dan Abnett pela Panini Comics (2016)
>>> Hq - Batman Preto & Branco - Especial nº4 de DC Comics pela Panini Comics (2014)
>>> 100 Balas Vol.08 - Samurai de Brian Azzarello - Eduardo Risso pela Panini Comics (2012)
>>> O Jarro Amarelo de Prof Carlos Rosa pela Abnc (2008)
>>> Macanudo Nº 1 de Liniers pela Zarabatana Books (2008)
>>> Friends to the End - The True Value of Friendship de Bradley Trevor Greive pela Andrews Mc Meel (2004)
>>> Dragonero 11 - A Rainha dos Algentes de Luca Enoch pela Mythos (2021)
>>> Usagi Yojimbo - Daisho de Stan Sakai pela Devir (2008)
>>> Usagi Yojimbo - O Limiar da Vida e da Morte de Stan Sakai pela Devir (2012)
>>> Daily Reflections de Jim Rohn pela Brolga (2004)
>>> Usagi Yojimbo - Sombras da Morte de Stan Sakai pela Devir (2007)
>>> Adolf - Volume 1 de Osamu Tezuka pela Conrad (2006)
>>> Adolf - Volume 2 de Osamu Tezuka pela Conrad (2006)
>>> Mangá Ajin Demi-Human 14 de Gamon Sakurai pela Panini Comics (2019)
>>> Mangá Ajin Demi-Human 13 de Gamon Sakurai pela Panini Comics (2019)
>>> Mangá Ajin Demi-Human 12 de Gamon Sakurai pela Panini Comics (2018)
COMENTÁRIOS >>> Comentadores

Domingo, 30/9/2007
Comentários
Paulo Sérgio Vieira


Comodismo
Vivemos os dois extremos. De um lado as faculdades particulares, oferecendo algo de qualidade duvidosa. Do outro, as universidades "públicas", que vivem num mundinho à parte, distantes da realidade. Infelizmente, é muito cômodo para todos que tudo fique como está.

[Sobre "Curso superior de auto-ajuda empresarial"]

por Paulo Sérgio Vieira
30/9/2007 às
23h45 201.79.77.184
 
Voto deve ser não-obrigatório
Não posso de forma alguma concordar com as opiniões expostas nesse artigo. Primeiro, é a transformação do direito num dever, algo anti-democrático. Segundo pela própria argumentação presente no artigo. O caráter de obrigatoriedade do voto é herança do período não democrático. Não é uma conquista da luta democrática, mas um entulho da ditadura. A argumentação de que ainda existe o voto de cabresto no Brasil, devido a falta de capacidade de parte da população, é algo que precisa ser desmentido, não passa de crendice. Do mesmo tipo usado para impedir o voto dos analfabetos, para defender o dirigismo da cultura, com caráter doutrinador, e o “nivelamento por baixo” presente em nossa sociedade. Existe uma subestimação da capacidade de nosso povo, que se revela como um preconceito. Contudo, a realidade mostra que é a nossa classe média que mostra falta de esclarecimento, dando sustentação ao golpe de 64 e, agora, votando em corruptos. Precisamos superar essas velhas crendices e evoluir.

[Sobre "A favor do voto obrigatório"]

por Paulo Sergio Vieira
29/10/2006 às
17h59 201.79.96.164
 
O Jornalista Imbecil III
Lamentavelmente, as análises feitas no Brasil sobre a televisão baseiam-se em estereotipos. Quando se fala em produções norte-americanas, logo se vem a mente aqueles enlatados horriveis: seriados, minisséries, filmes para TV, etc. Mas muita coisa boa é produzida pelas emissoras de lá. Exemplos? Ecce Homo - série produzida no Canadá, que poderia ocupar o horário nobre de nossa TV Cultura. Cada programa da série aborda um tema específico: humor, cidades, guerra, mulher, informática, etc. Apesar de apresentar a visão norte-americana a respeito do mundo, essa séria nos convida a fazer uma reflexão sobre o passado, presente e futuro da humanidade. Essa é a qualidade fundamental: a TV deve convidar o espectador a pensar, refletir, questionar o mundo em que vivemos, sem querer definir o que é certo ou errado. Séries e documentários da PBS - A Public Broadcast Service é a emissora pública dos EUA. A atual direção da TV Cultura, sempre muita criativa, tentou imitar o modelo adotado pela PBS. Acontece que a emissora pública dos EUA teve a sinceridade de assumir o papel de babá eletrônica, mantendo uma programação voltada para crianças de até 10 anos de idade. Coisa típica do pragmatismo norte-americano. Entretanto, durante o "horário nobre", a PBS exibe séries e documentários de excepcional qualidade. Recentemente, a emissora exibiu uma ótima série sobre a história do jazz. Neste mês de dezembro, a PBS está apresentando a produção Shaolin, que conta a história do místico templo chinês e o surgimento do Kung Fu. Já pensou a nossa TV Cultura mostrando a história das artes marciais? Seria um escândalo, um incentivo a violência, cultura inútil... Fox - esta emissora é considerada o SBT dos EUA, por causa de seus programas populares, tipo "mundo-cão": "Os Vídeos mais Incríveis...", "Os Criminosos mais Procurados...", "Quem quer se casar com um milionário...", etc. Entretanto, a Fox também possuí atrações que merecem elogios. Eu prefiro a crítica social contida nos desenhos animados da Fox do que aqueles enfadonhos debates exibidos na TV Universitária. NBC - Mais vale uma sitcom da NBC do que aquela psicóloga que está sempre presente nos programas da TV Cultura, falando o que os jovens devem ou não fazer. CBS/ABC - Pobre coitado do Jô Soares, seu programa não passa de uma imitação dos talk-shows destas duas emissoras. TV Paga - aí é uma festa. Quase toda grande instituição norte-americana mantêm algum programa de TV no ar. Veja, por exemplo, o velho Tradição Ocidental, atualmente em exibição na TV Câmara. Ou o Mecânica Popular, Invenções, Ciência Popular, National Geografic, Arqueologia, Nova, etc,etc,etc... No Brasil, o pessoal simplesmente preenche um estúdio com uma bancada e três cadeiras. Depois, afirma que está elevando o "nível da TV brasileira". É verdade que a TV norte-americana também exibe muita porcaria. Porém, o mais importante é que o espectador pode escolher o que quer assistir. Você não gosta de mundo-cão? Então muda de canal. Faça a sua escolha. Essa é a regra adotada nos EUA. No Canadá, a principal emissora, que é estatal, teve que popularizar sua programação para continuar mantendo a audiência, e os anunciantes. TV é entretenimento. Baixou o nível? E daí? Existem outros canais, com ótimas opções, alguns de "elevado nível cultural". Mas a maioria deseja relaxar, aliviar a tensão, rir, se divertir.... É assim que funciona... em todo o mundo... No passado, o computador só serviam para cálculos, controles, etc. Hoje é um vídeo-game, uma fonte diversão, lazer e entretenimento. Os mais antigos podem torcer o nariz. E daí? Assim também é a televisão, que já surgiu como um meio de entretenimento. Só na Alemanha de Hitler e nos países comunistas a TV foi usada como um meio de elevar o nível cultural da população (Nota: a Alemanha nazista foi o primeiro país a ter a TV como um eletrodoméstico acessível a maioria da população, pois era peça fundamental no processo de controle do cidadão. Hitler era um gênio, e gastou uma fortuna para fazer da TV um meio eficaz de controlar o Zé Povinho. O aparelho era dado de graça, lógico, para que todos fossem devidamente educados. Pena que ninguém gosta de relembrar essa história. Por que será?). Parece-me que querem implantar no Brasil o velho modelo nazista de Televisão. Sérgio Vieira

[Sobre "Digestivo nº 58"]

por Sergio Vieira
4/12/2001 à
01h25 200.176.223.108
 
O Jornalista Imbecil
Durante alguns anos trabalhei como critico de TV. Graças a Deus, hoje estou longe desta merda. Entretanto, por mas que eu tente me afastar deste assunto, continuo tendo de suportar declarações idiotas sobre este tema. A TV brasileira possuí um nível sofrível, mas a crítica encontra-se em situação muito pior. Pois bem, eu tenho a seguinte posição sobre esse tema: acho a TV brasileira deveria produzir mais programas educativos. Bons programas educativos, e não aquelas porcarias exibidas na TV Cultura ou no Canal Futura. Sempre defendi a exibição de produções européias, japonesas ou norte-americanas, com poderia até ocupar horário nobre, de uma emissora que não estivesse na disputa pela liderança. Por sinal, sou viciado neste tipo de programação, e seria muito bom se os canais abertos oferecessem essa tipo de atração. Entretanto, eu nunca usei isso como desculpa para dizer que tal programa não presta, que a emissora deveria apresentar alguma coisa der educativo no horário e blá-blá-blá. Com o tempo, aprendi que jornalistas adotam este discurso, na verdade revelam uma incapacidade de compreender corretamente o assunto. Por sinal, a única motivação deste críticos é esculhambar o programa exibido pela emissora. Infelizmente, a grande maioria dos nossos jornalistas desconhecem o papel da televisão em nossa sociedade, apenas repetem o mesmo discurso, conservador e reacionário. É uma prova de sua mediocridade. TV não é fundamentalmente um meio de entretenimento? Uma pessoa que afirma tal bobagem deveria buscar se informar melhor a realidade em que vive a nossa sociedade. É muito fácil para Rodrigo, cara formado pela PUC do RJ, ir até o clube da moda para se divertir. Na quarta-feira, ele vai até o cinema do Shopping, desfrutar de um filme de "qualidade" (na Europa era considerado uma bosta)... Na saída ela pode comprar o último sucesso daquela escritora lésbica e o DVD com a apresentação daquele famoso grupo de jazz(na verdade, um grupelho fracassado, sem qualquer criatividade, mas se é jazz, é bom). Isso sim, é entretenimento. TV NÃO! A TV deveria ser usado para educar (programar) o Zé Povinho, aquele que só possuí o primeiro grau. Zé Povinho não precisa de entretenimento, futebol do fim-de-semana já basta. A esposa de Zé Povinho precisa de uma ótima educação, para saber que a mulher de hoje deve ser uma trabalhadora consciente de suas obrigações. Os filhos de Zé Povinho precisam receber uma ótima educação, para um dia serem verdadeiros operários, dóceis e dedicados, com assim exige a nossa sociedade. E como a escola pública está sempre paralisada por alguma greve, esta missão passa a ser da TV. Dona Maria perde tempo vendo novela, as crianças ficam com a mente perturbada com Ratinho. E Zé Povinho, totalmente iludido com a tal Casa dos Artistas.Assim, os meninos ficarão revoltados, a mulher vai quere uma vida melhor e Zé Povinho vai acreditar que o ser humano deve lutar pela felicidade. "Gente, nós temos que formar cidadãos, não é com esta porcaria exibida na televisão que iremos formar cidadãos" . Precisamos de operários, pessoas preparadas para produzir, que aceitem o sistema como ele é, que atendam as expectativas, o operário-padrão, o estudante-nota-10, a mulher-do-século-21. Desgraçadamente, essa experiência já foi adotada em alguns países. Durante 40 anos, o leste europeu e a União Soviética acreditaram nesta lorota. Hoje, aqueles cidadãos, que cresceram assistidos por uma TV que exibia balé, música clássica, programas didáticos, tudo do mais alto nível, agora só querem ver sexo. Viva a liberdade! Viva a baixaria! Viva a boceta de Olga! ( eu posso falar boceta, por que tenho curso superior e acho que quem lerá também. Censura, só para o Zé Povinho.) Eu não estou dizendo que a TV não deve ter um conteúdo educativo, mas é preciso admitir que ela é, fundamentalmente, uma forma de entretenimento. Enquanto jornalistas, políticos, críticos e pseudo-intelecutuais-metidos-a-besta insistirem em não aceitar essa verdade, a nossa televisão continuará no mesmo buraco. É preciso um pouco de bom-senso. Lamentavelmente, estamos nas mãos dos espertos. Por trás de todo esse discurso barato, hipócrita, existe o desejo de nossa elite em controlar, manipular o resto da população, defendendo a idéia de que essas pessoas não são capazes de pensar, de raciocinar, de decidir o que é certo ou errado. Cabe a nós, formadores de opinião, com curso superior, guiar estes pobres coitados. (no futuro, eu imago que poderemos resolver todo este problema instalando um chip na cabeça do Zé Povinho). No fundo, nossa elite sonha em manter o controle absoluto sobre o resto da população, decidindo o que devem ver, assistir ou gostar. É um pensamento fascista, defendido por uma minoria que se acha superior a maioria. Pois eu prefiro Ratinho, Casa dos Artistas, Faustão do que esta TV proposta por nossa elite intelectual fascista. Sérgio Vieira

[Sobre "Digestivo nº 58"]

por Sérgio Vieira
29/11/2001 às
02h09 200.176.220.127
 
Julio Daio Borges
Editor

Digestivo Cultural
Histórico
Quem faz

Conteúdo
Quer publicar no site?
Quer sugerir uma pauta?

Comercial
Quer anunciar no site?
Quer vender pelo site?

Newsletter | Disparo
* Twitter e Facebook
LIVROS




Problemas e Exercícios de Análise Matemática
B. Demidovitch
Mir
(1977)



Aparecida
Rodrigo Alvarez
Globo
(2014)



O Estranho Caso de Rôse Ramires
Edgard Armond
Aliança



Linguística 1
Fernanda Mussalim
Iesde
(2012)



Testamento de um poeta judeu assassinado
Elie Wiesel
Francisco Alves
(1987)



O Mulato
Aluísio Azevedo
Klick



As Poesias de Anchieta Em Português
Leodegário A. de Azevedo Filho
Antares
(1983)



Da Senzala à Colonia
Emilia Viotti da Costa
Milesi
(1982)



O arroz de palma
Francisco Azevedo
Record
(2013)



Garfield Dishes it Out
Jim Davis
Ballantine
(1994)





busca | avançada
62861 visitas/dia
1,9 milhão/mês