EM SUMA... | Ricardo

busca | avançada
74045 visitas/dia
1,8 milhão/mês
Mais Recentes
>>> Férias de Julho: Museu Catavento e Teatro Sérgio Cardoso recebem a Cia. BuZum!
>>> Neos firma parceria com Unicamp e oferece bolsas de estudo na área de inteligência artificial
>>> EcoPonte apresenta exposição Conexões a partir de 16 de julho em Niterói
>>> Centro em Concerto - Palestras
>>> Crônicas do Não Tempo – lançamento de livro sobre jovem que vê o passado ao tocar nos objetos
* clique para encaminhar
Mais Recentes
>>> As fezes da esperança
>>> Quem vem lá?
>>> 80 anos do Paul McCartney
>>> Gramática da reprodução sexual: uma crônica
>>> Sexo, cinema-verdade e Pasolini
>>> O canteiro de poesia de Adriano Menezes
>>> As maravilhas do modo avião
>>> A suíte melancólica de Joan Brossa
>>> Lá onde brotam grandes autores da literatura
>>> Ser e fenecer: poesia de Maurício Arruda Mendonça
Colunistas
Últimos Posts
>>> Oye Como Va com Carlos e Cindy Blackman Santana
>>> Villa candidato a deputado federal (2022)
>>> A história do Meli, por Stelleo Tolda (2022)
>>> Fabio Massari sobre Um Álbum Italiano
>>> The Number of the Beast by Sophie Burrell
>>> Terra... Luna... E o Bitcoin?
>>> 500 Maiores Álbuns Brasileiros
>>> Albert King e Stevie Ray Vaughan (1983)
>>> Rush (1984)
>>> Luiz Maurício da Silva, autor de Mercado de Opções
Últimos Posts
>>> PANFLETO AMAZÔNICO
>>> Coruja de papel
>>> Sou feliz, sou Samuel
>>> Andarilhos
>>> Melhores filme da semana em Cartaz no Cinema
>>> Casa ou Hotel: Entenda qual a melhor opção
>>> A lantejoula
>>> Armas da Primeira Guerra Mundial.
>>> Você está em um loop e não pode escapar
>>> A vida depende do ambiente, o ambiente depende de
Blogueiros
Mais Recentes
>>> Entrevista com Chico Pinheiro
>>> Lá onde brotam grandes autores da literatura
>>> Efeitos periféricos da tempestade de areia do Sara
>>> Era uma casa nada engraçada
>>> Entrevista da Camille Paglia
>>> Vamos sentir saudades
>>> Sexo virtual
>>> The more you ignore me, the closer I get
>>> Padre chicoteia coquetes e dândies
>>> A poesia afiada de Thais Guimarães
Mais Recentes
>>> Ignacio de Loyola - Biblioteca de História de Ignacio de Loyola Lopes Brandão pela Três (1974)
>>> Bravo! os Bastidores da Opera de Wilson Simão pela Do Autor (1992)
>>> Há Controvérsias 1 - 1987-2003 de Ronaldo Werneck pela Artepaubrasil (2009)
>>> A Estilistica do Axiomismo na Pintura de Castellane de Geraldo Dutra de Moraes pela Biblioteca Brasileira de Artes (1973)
>>> O Quinto Cavaleiro de Dominique Lapierre / Larry Collins pela Bertrand (1981)
>>> Ben-hur a Tale of the Christ de Lew Wallace pela Grosset & Dunlap (1922)
>>> Deus Só Recebe aos Domingos de Virgil Gheorghiu pela Biblioteca do Exército (1986)
>>> Loveless - Coletânea de Contos de Vários pela Escândalo (2013)
>>> Antologia de Cordéis de Eurídice Alves pela Estúdio P. (2010)
>>> Paradoxo Global de John Naisbitt pela Elsevier
>>> Tenis de Mesa Pingue-pongue de Leopoldo Santana pela Cia Brasil
>>> O Apocalipse de Simão Cirineu de Jonas Rezende pela Relume Dumara (1998)
>>> Aberrações Casuais de Daniel Lisboa pela Kazuá (2015)
>>> Dom Casmurro de Machado de Assis pela Ed. Nucleo (1995)
>>> Puebla: o Papa no Continente dos Índios de Irineu Guimarães pela Expressão e Cultura (1979)
>>> Vale Tudo de Gilberto Braga / Aguinaldo Silva / Mauro Alencar pela Globo (2008)
>>> Segredos da Gordinha Feliz de Wendy Shanker pela Verus (2007)
>>> Desonrados e Outros Contos de Arlindo Gonçalves pela Marco Zero (2005)
>>> Drummond - Antologia Poética de Carlos Drummond de Andrade pela José Olympio (1970)
>>> Validação do Questionário do Sono Infantil de Reimão e Lefèvre de Rubens Nelson Amaral de Assis Reimão pela Crv (2016)
>>> Comunicação pela Tv de George N. Gordon / Irving A. Falk pela Forum (1968)
>>> Empresários, Trabalhadores e Grupos de Interesse de Felipe Pereira Loureiro pela Unesp (2017)
>>> Al Chamael Al Muhamadiya - Seleção dos Atributos do Profeta Mohammad de Mohammad Ibn Jamil Zino pela Do Autor
>>> Coletânea de Textos - Col os Pensadores de Moritz Schlick pela Abril Cultural (1980)
>>> Ensaios Sobre a Ciência Política na Itália de Norberto Bobbio pela Unesp (2016)
COMENTÁRIOS

Quinta-feira, 16/5/2002
Comentários
Leitores


EM SUMA...
Que se leia! Independentemente da quantidade, mas com plena atenção à qualidade! Insisto que o desnível intelectual estraga qualquer relacionamento, mas não falei que a QUANTIDADE é fundamental. Eu mesmo, em algum ano, devo ter lido pouco, mas devido a minha mania de ler devagar, digerindo ... Leio hoje, e amanhã paro para observar algum fato real análogo ao lido. Livros não são as únicas fontes de cultura, mas são os que melhor nos preparam para apreciar as outras. Quem entenderia "A Última Noite de Boris Grushenko", de Woody Allen, sem ter lido antes meia dúzia de romances russos de época? O quanto não seria perdido do filme? Ainda, livros não são a única leitura, pois temos jornais, revistas, tanto as de público geral, como as especializadas (quando legíveis). Em suma: leia-se! Ouça-se boa música! Assista-se bons filmes! Ao teatro! Mas sempre movimentando o espirito, escapando à inércia intelectual! Tudo começa com a leitura, mas não se esgota nela.

[Sobre "Quem Não Lê Não É Humano"]

por Ricardo
16/5/2002 às
09h43 200.191.12.253
(+) Ricardo no Digestivo...
 
A Graça da Vida
Querido Alexandre, infelizmente estamos vivendo um momento histórico onde todos parecem rejeitar a Graça de Deus, como os judeus adorando Baal enquanto Moisés subia ao monte para buscar as Tábuas da Lei. O que me mete medo é o que acontecerá quando não Moisés mas Ele voltar e encontrar essa bagunça. Como diz a moça da novela que todo mundo está citando, "não vai ser brinquedo não!" Hoje parecemos todos lemingues que se encaminham frenéticos para o precipício. Quase ninguém quer dar meia volta. Me assusta demais. Um beijo da Sue

[Sobre "Regras da Morte"]

por Assunção Medeiros
16/5/2002 às
09h34 200.184.36.40
(+) Assunção Medeiros no Digestivo...
 
Meninos!
Evandro, só nos encontraremos se você frequentar o Seminário no Rio... mas se o fizer, já deve ter-me visto! Não costumo ficar apagada num canto! :o)Bom, eu continuo achando que ler é algo de EXTREMA importância na vida de qualquer um, mesmo que sejam livros de mistério bem chinfrins, para aqueles que ainda não têm o prazer de ler. Depois, aos poucos, descobrir que alguém que viveu centenas ou até milhares de anos antes de você sentia igual, amava igual, sofria igual, tinha o mesmo deslumbramento com o mundo,isso dá um brilho no olhar e uma força no sorriso que faz com que os seus iguais reconheçam você como um deles... E o mais importante, remetendo ao texto do meu General, liberta você do aqui-agora como nada mais consegue. Você está um instante na Grécia antiga com Ulisses, então voa correndo para a Idade Média e conversa com o monge Beda, o Venerável, e logo está sentado no colo do velhinho safado, Walt Whitman, usufruindo do prazer da companhia do OUTRO. Todo este mundo mágico só está à disposição de quem lê. Não é uma tragédia para aqueles que ficam restritos ao bom dia do porteiro e às manchetes de jornal? Também acho Ricardo, que os relacionamentos não são o lugar de fazer serões literários, mas não é para o outro que se lê, é para si. Evandro, nada contra sua menina, tenho certeza que ela é uma pessoa fantástica, mas eu sempre teria a incômoda sensação de que grande parte de mim se tornaria initeligível para o outro que não lê. Beijos da Sue

[Sobre "Quem Não Lê Não É Humano"]

por Assunção Medeiros
16/5/2002 às
02h28 200.184.36.252
(+) Assunção Medeiros no Digestivo...
 
RIDÍCULO ...
Escrevi um pedaço do comentário no espaço reservado ao título e esqueci de consertar. Sem contar os erros decorrentes da pressa.

[Sobre "Quem Não Lê Não É Humano"]

por Ricardo
15/5/2002 às
17h38 200.227.233.125
(+) Ricardo no Digestivo...
 
quanto maisQUANTO
Não falei que era para o casal transformar o relacionamento em um seminário literário. Apenas aponto como ideal que cada um leia o que puder, o quanto puder. O desnível intelectual causa transtorno e até constrangimento (contrabando de livros) conforme a Sue demonstrou com um exemplo. Aproveito para cobrir uma lacuna que deixei. É em relação ao comentário 30, do Toni. Ele entendeu ter eu dito que há diferentes vocações, devido à variedade de autores que citei. Nada disso, apenas falei que se não adianta colocar nas mãos dos operários citados leituras mais leves como A. Christie ou José de Alencar, QUANTO MAIS Homero, Descartes, etc ... Infelizmente, eles não têm base para ler nem os mais leves, nem os mais pesados. Talvez sejam merecedores de uma segunda chance, conforme falei simbolicamente no meu primeiro comentário. O porteiro do meu prédio, por exempo, teve depois de maduro a segunda chance de alfabetizar-se, e aproveitou. Escapou à geena. Já uma colega de profissão, toda pose, indignou-se porque comentei do lançamento de mais um livro do L. F. Veríssimo, o "Sexo na Cabeça". "Mas como! Você tem que se manter dentro da sua área! Não tem que ficar lendo essas coisas!" ... "Coisa" é ela ...

[Sobre "Quem Não Lê Não É Humano"]

por Ricardo
15/5/2002 às
17h23 200.227.233.125
(+) Ricardo no Digestivo...
 
Nem tão hipotético assim
Cara Sue. Concordo plenamente com você. Acho absurdo não compartilhar as maiores realizações com o cônjuge. É realmente triste uma relação como a desse amigo seu. Mas, como eu estava a dizer, é uma situação-limite, entende? Há relações em que os dois parceiros se respeitam e se admiram, e nas quais há uma substancial diferença no número de livros que um e o outro lêem. Esse é o meu caso. E posso dizer que minha namorada jamais faltaria à minha defesa de tese. Mesmo porque ela sempre me acompanhou nessas apresentacões acadêmicas. E o que quis dizer é que o texto - que ficou até distante depois de tantos comentários :) - não ajuda muito a percebermos que esse tipo de relação é possível, muito menos os comentários do Ricardo. Mudando de assunto, podemos nos encontrar então no dito seminário, pois eu também sou aluno! Gostei do "ingênua Sue". Muito espirituoso. Um abraço do hipotético Evandro.

[Sobre "Quem Não Lê Não É Humano"]

por Evandro Ferreira
15/5/2002 às
16h59 200.167.234.109
(+) Evandro Ferreira no Digestivo...
 
Situações Hipotéticas
Querido Evandro, que bom então que não é você que está enfrentando a situação hipotética que você descreveu. Agora eu entendi como duas pessoas tão diferentes quanto as que você descreveu podem se relacionar tão bem... no reino das conjecturas, é claro! Bom, eu não sou muito boa de lidar com conjecturas, talvez por possuir imaginação excessivamente fértil e me perder entre elas... Prefiro lidar com fatos, que são mais irredutíveis e não cedem diante de minhas fantasias. Bom, quanto às minhas dicas parecerem ingênuas, não sei não... só conheço um casal onde exista tamanho disparate intelectual quanto você descreveu. Um amigo meu, intelectual bastante produtivo, com alguns livros publicados, doutorado, um membro clássico da classe pensante, é casado com uma dona de casa militante, que acha que livros são aquelas coisinhas irritantes que juntam poeira e atrapalham a faxineira na hora da limpeza. Duas situações na vida deste casal -- que parece bem equilibrado em outros aspectos, e que não parece ser infeliz -- me impressionaram bastante. Primeiro, quando meu amigo fazia mestrado, tinha de comprar muitos livros, e isto era sempre motivo de briga entre os dois, porque ela achava tal coisa "jogar dinheiro fora" (!!). A solução encontrada por ele foi contrabandear os livros para dentro de casa e escondê-los, assim ela, que sequer percebia títulos e capas, pensaria que já estavam ali há tempos. A segunda situação foi, e é, ainda mais triste do MEU ponto de vista. Veja bem, digo meu, porque repito que o casal PARECE bastate satisfeito com a situação. Na hora da defesa de sua tese de mestrado, este meu amigo me ligou e disse que fazia questão da MINHA presença, pois era um momento importante de sua vida. Ele sempre divide comigo estas suas atividades. Toda a sua família estava lá comigo, exceto... a dita esposa, que não achou o momento importante o suficiente para faltar ao trabalho. Portanto, na minha humilde e algo ingênua opinião, o relacionamento deles só funciona porque meu amigo busca FORA DELE, em mim e talvez em outras amigas, o que precisa intelectualmente, e tem com a mulher um contrato social para a manutenção da casa e criação dos filhos. Eu não sei você, mas isso para mim seria a morte em vida. Sou incuravelmente romântica e busco sempre o contato entre as almas. Quanto ao cansaço, bom, eu dou aula em duas universidades, faço trabalhos imensos de tradução, faço parte de um grupo de estudos de cultura celta e germânica, estou preparando um livro, sou dona de casa, com tudo o que isto acarreta, e ainda sou aluna do Seminário de Filosofia do próprio Olavo de Carvalho. Sabe o que faço para relaxar, nos poucos intervalos que tenho? Leio. Ler me dá um prazer incrível, e nem tudo o que se lê é a Metafísica ou a Suma Teológica. Concordo que estudos profundos e trabalho mecânico não combinam quando há excesso, mas nada num profissional atarefado impede a leitura prazerosa de bons textos. Um beijo da ingênua Sue. :o)

[Sobre "Quem Não Lê Não É Humano"]

por Assunção Medeiros
15/5/2002 às
15h29 200.184.36.55
(+) Assunção Medeiros no Digestivo...
 
Cobranças
Cara amiga Sue. Aprecio muito sua sugestão, mas acho que seria muita ingenuidade a minha se eu já não fizesse isso desde o início da realação, não é? Na verdade a situação que descrevi não é exatamente a minha, como pode ter ficado implícito. Sempre escrevi poemas para minha namorada e até textos e artigos e ela adora todos eles. Entretanto, eu quis apresentar a situacão hipotética pelo fato de que muitas pessoas simplesmente não desenvolvem o gosto pela leitura, ou até gostam de ler, mas têm sono ou preguiça. Eu mesmo já trabalhei por um tempo - hoje só estudo - e chegava em casa às 9 da noite, morto de cansaço e não conseguia ler nada, embora morresse de vontade. Em algum lugar de seus escritos, Olavo de Carvalho afirmou uma coisa com a qual eu concordo em gênero, número e grau. Era algo como: "um sujeito que trabalha até as 8 da noite não vai chegar em casa e ler a Metafísica de Aristóteles". Então penso que essa coisa de achar que alguém vai buscar o conhecimento independentemente de qualquer coisa é bobagem. Ou a pessoa se dedica inteiramente a estudar, gastando não mais do que umas 5 horas por dia com trabalho (trabalho esse que não pode ser manual, pois dessa forma se cansaria muito), ou então ela pode até ler um pouco, mas suas leituras nunca vão passar de um certo grau de profundidade. E essa pessoa, por mais que pense que se livrou do senso-comum, será sempre mais uma figura de um nível intermediário entre a ignorância e a sabedoria, apenas portadora de uma "opinião" mais sofisticada que a dos outros. Mas, por mais estranho que possa parecer, não vejo nada de errado nisso. Esperar que todos virem filósofos só não é mais ingenuidade que achar que o indivíduo "antenado" e semi-culto é mais humano que um peão de obra, por exemplo. Portanto, acho que é preciso buscar outros parâmetros que auxiliem nessa análise do Alexandre (e sei que ele tem consciência disso, pois seu artigo não pretende esgotar o assunto). O problema é que, trabalhando apenas com situações-limite não se chega a lugar algum. É lógico que o relacionamento entre uma patricinha e um filósofo é inviável. Mas, segundo a perspectiva do Ricardo, qualquer relacionamento é inviável, a menos que os dois leiam quase que igual quantidade de livros. Com isso não concordo de modo algum.

[Sobre "Quem Não Lê Não É Humano"]

por Evandro Ferreira
15/5/2002 às
14h28 200.167.234.109
(+) Evandro Ferreira no Digestivo...
 
Colunistas: tempo e o espaço
Caro Rogério, não obstante eu ter escolhido viver em Goiânia (há 3 anos), sou de Fortaleza e sei bem do que você fala. Essa praga do agrupamento simbiótico colunista/madame/gigolô/colunáveis/aspirantes a colunáveis não para de crescer. Tem uma cidadezinha no interior de Minas, na fronteira com a Bahia, onde há 2 jornalecos. Acreditem: 40% da "metragem" é ocupada por colunas sociais. Cada um tem somente duas folhas duplas, mas entupidas de dessa babaquice. A maioria das "matérias" refere-se a festas da alta sociedade local. Uma cidade paupérrima! Análoga a essa cidade, que conheço bem, deve haver um sem número no Brasil. São Paulo, Paris e Nova Iorque, infeizmente, não são diferentes, guardadas as proporções dos colunista e colunáveis. Ou seja, o problema não é onde, mas quem. E o "quem" humano anda cada vez mais superficial e preso a valores meramente relacionados ao ego. Um abraço. Bernardo

[Sobre "Quem é essa gente?"]

por Bernardo
15/5/2002 às
13h15 200.163.217.179
(+) Bernardo no Digestivo...
 
Depois de tantos comentários
Ricardo, quisera eu que mais homens cobrassem de suas mulheres seu grau de leitura e humanidade. Assim teria mais amigas! :o) Eu já disse tempos atrás que amor aos livros é inato, porque a busca do conhecimento como um todo pressupõe a busca pelo auto-conhecimento e melhoria do mundo que nos cerca. Ética é tão parte disso quanto a alfabetização. E Evandro, meu querido, se já existe um relacionamento de tanto tempo, que tal tentar mostrar que você ficaria feliz em compartilhar algumas de suas leituras com ela? Escolha uns poemas bem bonitos, leia para a moça em voz alta... depois faça muito carinho e diga que ela o inspira da mesma forma. DUVIDO que depois disto ela não fique sentadinha do seu lado enquanto você lê... Dê a ela livros - pequeninos, no início - de presente, e diga que é "a cara dela". Logo logo, vocês vão ter de comprar um sofá novo para a sala de leitura dos dois! Os conselhos são de coração. Beijos a todos, da Sue

[Sobre "Quem Não Lê Não É Humano"]

por Assunção Medeiros
15/5/2002 às
12h54 200.184.36.43
(+) Assunção Medeiros no Digestivo...
 
Julio Daio Borges
Editor
mais comentários

Digestivo Cultural
Histórico
Quem faz

Conteúdo
Quer publicar no site?
Quer sugerir uma pauta?

Comercial
Quer anunciar no site?
Quer vender pelo site?

Newsletter | Disparo
* Twitter e Facebook
LIVROS




As Ilusões Perdidas
Honoré de Balzac
Abril Cultural
(1981)



Reflexões sobre a Loucura
J. K. Wing
Jorge Zahar
(1979)



A Lata de Lixo da História
Roberto Scharz
Paz e Terra
(1977)



Lorde Jim
Joseph Conrad
Abril Cultural
(1971)



Grandes Heróis Marvel Nº 10 - os Vingadores - Visão
Steve Englehart - Sal Buscema e Outros
Abril
(1985)



Os Sonhos Sempre no Eterno Amanhã
Albino Gonçalves Ramos
Casa do Autor
(2008)



Monstros a Solta N° 3
Marvel
Panini



Brasil Processo e Integração
G. Galache; M. Andre
Loyola
(1972)



Viagem ao Centro da Terra
Júlio Verne
Ciranda Cultural
(2016)



Tesouro Disney Peninha e o Ganso Dourado
Vários Autores
Nova Cultural
(1987)





busca | avançada
74045 visitas/dia
1,8 milhão/mês