a obra de Huxley | Roberto Valderramos

busca | avançada
54198 visitas/dia
2,2 milhões/mês
Mais Recentes
>>> Conto HAYEK, de Maurício Limeira, é selecionado em coletânea da Editora Persona
>>> Os Três Mosqueteiros - Um por Todos e Todos por Um
>>> Sesc 24 de Maio recebe o projeto Parlavratório - Conversas sobre escrita na arte
>>> Cia Caravana Tapioca faz 10 anos e comemora com programação gratuita
>>> Eugênio Lima dirige Cia O GRITO em novas intervenções urbanas
* clique para encaminhar
Mais Recentes
>>> Eleições na quinta série
>>> Mãos de veludo: Toda terça, de Carola Saavedra
>>> A ostra, o Algarve e o vento
>>> O abalo sísmico de Luiz Vilela
>>> A poesia com outras palavras, Ana Martins Marques
>>> Lourival, Dorival, assim como você e eu
>>> O idiota do rebanho, romance de José Carlos Reis
>>> LSD 3 - uma entrevista com Bento Araujo
>>> Errando por Nomadland
>>> É um brinquedo inofensivo...
Colunistas
Últimos Posts
>>> Cris Correa, empreendedores e empreendedorismo
>>> Uma história do Mosaic
>>> Uma história da Chilli Beans
>>> Depeche Mode no Kazagastão
>>> Uma história da Sambatech
>>> Uma história da Petz
>>> A história de Chieko Aoki
>>> Uma história do Fogo de Chão
>>> BDRs, um guia
>>> Iggor Cavalera por André Barcinski
Últimos Posts
>>> Os inocentes do crepúsculo
>>> Inação
>>> Fuga em concerto
>>> Unindo retalhos
>>> Gente sem direção
>>> Além do ontem
>>> Indistinto
>>> Mais fácil? Talvez
>>> Riacho da cacimba
>>> Mimético
Blogueiros
Mais Recentes
>>> Arco da Crise
>>> 24 Horas: os medos e a fragilidade da América
>>> Elesbão: escravo, enforcado, esquartejado
>>> Precisa-se de empregada feia. Bem feia.
>>> I won’t dance, don’t ask me
>>> Sultão & Bonifácio, parte I
>>> Fui pra Cuba
>>> Sobre o preço dos livros 1/2
>>> No altar do vento
>>> Hamlet... e considerações sobre mercado editorial
Mais Recentes
>>> Seleções do Reader's Digest Nº 192 Janeiro de 1958 de Vários Autores pela Reader's Digest (1958)
>>> Os Instrumentos Mortais - Cidade do Fogo Celestial de Cassandra Clare pela Galera (2015)
>>> Sob a Luz da Lua de Sheridan Cain / Gaby Hansen pela Ciranda Cultural (2011)
>>> Nova idade 50 anos é o máximo de Gilda Chataignier e Léa Maria Aarão Reis pela Rocco (1997)
>>> Como Conviver (e Sobreviver) Com Mãe E Sogra de Thei Bertorello pela Edicon (2006)
>>> Personagens que marcaram época: Mahatma Gandhi de Narciso L. M Machado pela Globo (2006)
>>> Casamento à Prova de Traição de Willard F. Harley Jr. pela Sextante (2000)
>>> A Cidade e as Serras de Eça de Queirozc pela Martin Claret (2006)
>>> Mar sem Fim de Amyr Klink pela Companhia das Letras (2000)
>>> La trama de la comunicacion volume 8 2002-2003 de Rubén Biselli pela Unr (2003)
>>> Métodos de Cura - Psiquismo e Cromoterapia de Edgard Armond pela Aliança (2012)
>>> O Poder da Esposa que Ora de Stormie Omartian pela Mundo Cristão (2000)
>>> Coquetel de Emoções de Monica de Camargo Coutinho pela Não Consta (2006)
>>> Encontros, desencontros e Reencontros de Fiorangela M. Desidério pela Paulinas (1982)
>>> O poder da esperança de Julian Melgosa e Michelson Borges pela Casa Publicadora (2017)
>>> Gerente minuto de Kenneth Blanchard e Spencer Johnson pela Record (2011)
>>> O Poder das Afirmações Positivas de Louise Hay pela Sextante (2005)
>>> O maior vendedor do mundo 2ª parte de Og Mandino pela Record (1988)
>>> O homem e a moda de Eduardo Tevah pela Sulina (1997)
>>> Se ligue em você de Luiz Antonio Gasparetto pela Espaço vida e consciência (1996)
>>> Aumente o poder de sua memória de Donald Weiss pela Nobel (1990)
>>> Não sou feliz de Fernando Lucchese pela L&pm (2013)
>>> Medicina Alternativa de A a Z de Carlos Nascimento Spethmann pela Natureza (2004)
>>> Drogas: opção de perdedor de Flávio Gikovate pela Moderna (1922)
>>> Coisas de família de José Otávio Bertaso pela Sagra Luzzatto (1997)
COMENTÁRIOS

Segunda-feira, 20/9/2004
Comentários
Leitores


a obra de Huxley
É fundamental ressaltar que a obra de Huxley é sim muito importante do ponto de vista literário. Tanto pelo emblemático "Admirável Mundo Novo", como pela novela "Ponto Contraponto". "Ponto Contraponto" é obra de 1928, quatro anos antes de "Admirável Mundo Novo". Marca o apogeu e o fim de uma fase acidamente crítica, e o início de uma fase preocupada com o futuro da humanidade e as possibilidades de uma nova sociedade. Não me recordo de nenhum outro livro que tenha retratado a sua própria época com tanta lucidez, abrangência ou corrosão. Uma corrosão isenta, despojada de intenções ideológicas ou de declarações apaixonadas por quaisquer certezas. Tudo o que Huxley fez em "Ponto Contraponto" foi relatar minuciosa e argutamente os ridículos e as inconsistências da sociedade, expondo com implacabilidade fria as fragilidades e as mesquinhezas do ser humano, dessa criatura que, a despeito das empáfias de sua presumida "racionalidade" ou "intelectualidade" (somente em poucos raros autêntica!), é apenas uma criatura insignificante, à mercê dos condicionamentos sociais e de suas fraquezas individuais - como a carência afetiva e a vaidade, o principal de todos os ridículos humanos. Inexiste a figura do protagonista. A preocupação de Huxley é montar um painel de sua sociedade, focando ora um ora outro grupo de personagens, flagrando suas mazelas, incertezas e certezas (sempre muito mais graves do que as primeiras, porque arrastam o indivíduo ao definitivo erro de enxergar o mundo sob uma perspectiva estreita). Os personagens fazem estritamente aquilo que devem fazer, nem mais nem menos. Suas capacidades são limitadas e orientadas, portanto plenamente previsíveis - previsíveis ao sarcasmo onisciente do autor. Previsíveis ao deus-autor, mas surpreendentes ao leitor. Este vê-se como testemunha atônita das fraquezas dos homens e das inconsistências de suas vidas sem sentido, vulneráveis aos crivos das incongruências existenciais e dos equívocos ideológicos. Inadvertidamente o leitor pode vir a sentir o gosto amargo de ter sido flagrado, apanhado em retrato cruel de suas próprias fraquezas. São muitos os capuzes distribuídos: pelo menos um deles pode muito bem ajustar-se à cabeça do leitor. É bem mais difícil encontrar alguma verdade onde não queremos encontrá-la. Ponto Contraponto não é complacente nem elogia ninguém (a não ser Bach). Essa é a sua grande virtude.

[Sobre "A essência de Aldous Huxley"]

por Roberto Valderramos
20/9/2004 às
16h58 200.184.161.120
(+) Roberto Valderramos no Digestivo...
 
aprendendo algo novo
"Ontem nasci, hoje vivo, amanhã morrerei". Por que viver senão para obter conhecimento deste mundo complexo em que vivo? Quão prazeroso é o "saber", não há êxtase maior do que aquele que sinto quando aprendo algo novo. E o livro então? Propagador respeitoso de conhecimento não existe maior e nunca existirá. Como amo os livros, amo tanto sua matéria quanto sua alma.

[Sobre "A biblioteca pública mais violada do mundo"]

por winston alegranci
18/9/2004 às
20h10 201.13.154.172
(+) winston alegranci no Digestivo...
 
livro não serve para nada
Sou leitor assíduo desta coluna, por tratar de um assunto de meu interesse. Não só por isso, mas também pela maneira de como a autora escreve. Hoje se fala muito da falta de gosto pela leitura, principalmente com referencia aos jovens. Dentre as coisas que podemos fazer: valorizar a oralidade do texto. Sinto que quando lemos em voz alta o texto tem outra conotação, parece que marca mais. Trabalho com venda de livros e, desde 2005, com educação (ensino fundamental). Minha livraria fica ao lado de uma casa lotérica, na principal rua da cidade. Disponho os livros infantis, em um display próximo a porta. Constantemente, vejo crianças sendo arrastadas pelos pais. Mas um caso me chamou mais atenção: a criança pediu que a mãe comprasse um livrinho, a mãe deu um categórico "não", e convenceu a criança a comprar uma “raspadinha”. Após raspar e não obter premio nenhum, a criança disse: viu bem que eu queria um livrinho? A mae disse: deixa de besteira, livro não serve para nada. Então meus caros, essa e' a nossa realidade...

[Sobre "A biblioteca pública mais violada do mundo"]

por Douglas
17/9/2004 às
09h27 200.217.233.211
(+) Douglas no Digestivo...
 
Outdoor vs. Indoor
Infelizmente, não consigo gostar do confinamento de uma academia. Prefiro a atividade ao ar livre AA rotina pode ser interrompida devido ao mau tempo, mas não me impede de praticar uma corrida ou uma boa pedalada. O importante mesmo é se dedicar a alguma atividade, o que este texto deixa bem claro.

[Sobre "Mens sana in corpore sano II"]

por José Lourenço
15/9/2004 às
11h05 201.11.215.44
(+) José Lourenço no Digestivo...
 
conte-nos mais sobre Moscou
Salve Eduardo, conte-nos mais sobre Moscou. Parece-me fascinante todo aquele gelo e a paisagem cinzenta. E a vodca de lá, faz frente à vodca polonesa? Espero poder ler esse "manual" de conversação do Theodore Zeldin. Em tempos tão hostis, nada como um bom papo para nos livrar de algumas modorras e também de alguns preconceitos. Sucesso!

[Sobre "Mistério em Moscou"]

por Gui
13/9/2004 às
21h08 200.100.58.54
(+) Gui no Digestivo...
 
Meu friend Julio Daio Borges
Julio: legal teu texto a respeito do Orkut. Logo que li, fui lá colocar teu nome, mas não havia referência. Ficaria muito feliz em tê-lo na minha pequena lista de amigos do Orkut. Grande abraço.

[Sobre "Ensaio de interpretação do Orkut"]

por Daubi Piccoli
13/9/2004 às
20h14 200.228.196.158
(+) Daubi Piccoli no Digestivo...
 
Moore se superou
Moore se superou neste documentário. Fico feliz por existir pessoas como Moore, que diante de toda essa conturbação não se cala e abaixa a cabeça, ele mostra toda sua indignção, e por um acaso o faz bem!

[Sobre "Michael Moore e o grande mentecapto"]

por Lorena
13/9/2004 às
13h19 200.163.16.12
(+) Lorena no Digestivo...
 
Fafá, a galinha e o ovo
"Como alguém não havia pensado nisso antes?". Fafá Lemos "pensou" nisso lá pelo comecinho da década de 50, Julio. Você só não sabe disso por culpa da inapetência de nossas gravadoras. Vá numa loja e procure discos do Trio Surdina...

[Sobre "Digestivo nº 191"]

por Sergio
10/9/2004 às
09h29 200.207.2.221
(+) Sergio no Digestivo...
 
Título inspirador
Sua coluna está excelente, aliás, como sempre. Gostei, particularmente, do título, que cairia muito bem num romance de espionagem.

[Sobre "Mistério em Moscou"]

por Luis Eduardo Matta
10/9/2004 à
00h51 200.157.28.68
(+) Luis Eduardo Matta no Digestivo...
 
inteligente sem ser neurotico
Eu tenho morado em diferentes cantos do mundo e, a cada novo lugar que vou, valorizo mais meu pais. Sou uma brasileira que AMA o Brasil. Acho que o maior cancer que temos sao os nossos politicos, eles impedem o nosso crescimento e ensinam ao povo que o crime compensa, a propina vale a pena e que ser honesto nao tem valor algum. Acho o povo brasileiro inteligente e batalhador sem ser neurotico. Para vc entender o neurotico, outro dia estava falando com uns americanos e eles falaram que os brasileiros eram preguicosos e sem ambicao. Eu disse: nao, vcs e' que sao neuroticos com tudo. Nos queremos um pais melhor e queremos ser felizes! O Brasil tem muita coisa que precisa ser melhorada mas eu ainda acredito que e' o melhor lugar do mundo e com as melhores pessoas.

[Sobre "Deitado eternamente em divã esplêndido – Parte 3"]

por Fabiana
9/9/2004 à
00h45 81.95.225.206
(+) Fabiana no Digestivo...
 
Julio Daio Borges
Editor
mais comentários

Digestivo Cultural
Histórico
Quem faz

Conteúdo
Quer publicar no site?
Quer sugerir uma pauta?

Comercial
Quer anunciar no site?
Quer vender pelo site?

Newsletter | Disparo
* Twitter e Facebook
LIVROS




Eu Fico Loko - As desaventuras de um adolescente nada convencional
Christian Figueiredo de Caldas
Novas Páginas
(2015)



Amor Além de Tudo - 1ª Edição
Inácio Ferreira & Wanderlei Oliveira
Dufaux
(2014)



Merlinzinho e o Robô Maximiliano
Valeska Perez Sarti
Lumen
(1998)



Aconteceu na Escola. um Dia de Princesa
Anna Claudia Ramos
Pallas
(2012)



Vivendo Em Família
Maria Luiza Dias
Moderna
(1992)



Global Workbook and Audio Cd With Key-pre-intermediate
Robert Campbell; Kate Pickering; Michael Vince
Macmillan Education
(2011)



Odisséia Ambiental - uma Aventura no Tempo
Emanuel Souto e Cayo Ogam
Prazer de Ler
(2006)



Horizontes - Autografado
Thereza Christina Roque da Motta
Ibis Libris
(2014)



Maria Brasileira
Antonio Carlos Vilela
Boa Companhia
(2005)



Metodologia das Ciências Sociais - 5ª Edição
Max Weber; Augustin Wernet ( Tradução )
Unicamp
(2016)





busca | avançada
54198 visitas/dia
2,2 milhões/mês