Comentários de Flavia Penido | Digestivo Cultural

busca | avançada
68231 visitas/dia
2,5 milhões/mês
Mais Recentes
>>> Workbook de Carl Honoré é transformado em lives
>>> Experiência Quase Morte é o tema do Canal Angelini
>>> 20 anos de Bicho de Sete Cabeças: Laís Bodanzky, Rodrigo Santoro e Gullane se reúnem em bate-papo
>>> Arquivivências: literatura e pandemia
>>> Festival Mia Cara promove concurso culinário “Receitas da Nonna”
* clique para encaminhar
Mais Recentes
>>> Silêncio e grito
>>> Você é rico?
>>> Lisboa obscura
>>> Cem encontros ilustrados de Dirce Waltrick
>>> Poética e política no Pântano de Dolhnikoff
>>> A situação atual da poesia e seu possível futuro
>>> Um antigo romance de inverno
>>> O acerto de contas de Karl Ove Knausgård
>>> Assim como o desejo se acende com uma qualquer mão
>>> Faça você mesmo: a história de um livro
Colunistas
Últimos Posts
>>> Hemingway by Ken Burns
>>> Cultura ou culturas brasileiras?
>>> DevOps e o método ágil, por Pedro Doria
>>> Spectreman
>>> Contardo Calligaris e Pedro Herz
>>> Keith Haring em São Paulo
>>> Kevin Rose by Jason Calacanis
>>> Queen na pandemia
>>> Introducing Baden Powell and His Guitar
>>> Elon Musk no Clubhouse
Últimos Posts
>>> Em um tempo, sem tempo
>>> Eu, tu e eles
>>> Mãos que colhem
>>> Cia. ODU conclui apresentações de Geração#
>>> Geração#: reapresentação será neste sábado, 24
>>> Geração# terá estreia no feriado de 21 de abril
>>> Patrulheiros Campinas recebem a Geração#
>>> Curtíssimas: mostra virtual estreia sexta, 16.
>>> Estreia: Geração# terá sessões virtuais gratuitas
>>> Gota d'agua
Blogueiros
Mais Recentes
>>> Influências da década de 1980
>>> 20 de Dezembro #digestivo10anos
>>> Poesia e Guerra: mundo sitiado (parte II)
>>> Notas Obsoletas sobre os Protestos
>>> Uma norma para acabar com os quadrinhos nacionais?
>>> Pode guerrear no meu território
>>> Aconselhamentos aos casais ― módulo II
>>> Diogo Salles no podcast Guide
>>> Na CDHU, o coração das trevas
>>> A Vida e o Veneno de Wilson Simonal, por Ricardo Alexandre
Mais Recentes
>>> Psicologia da Percepção - Vol. II de Clara Regina Rappaport (coord.) pela Epu (1985)
>>> Você Viu o Vento? de Ieda Martins de Oliveira pela Casa (2008)
>>> Fofinho de Teresa Noronha pela Ática (1997)
>>> Colegio Novo e Fogo! de Graziela Bozano Hetzel pela Paulinas (2007)
>>> A Curiosidade Premiada de Fernanda Lopes de Almeida pela Atica (2008)
>>> Adoráveis Vigaristas de Ganymédes José pela Atual (1991)
>>> Historias de Pai e Filho de Julio Emilio Braz pela Icone (1998)
>>> Uma Janela para o Crime de Cloder Rivas Martos pela Saraiva (2012)
>>> Pequenas Historias, Grandes Liçoes Vol. 1 de Alcides Goulart pela Jovem (2008)
>>> Diário de Biloca de Edson Gabrie Garcia pela Atual (2005)
>>> A Guerra do Lobisomem de Carlos Moraes pela Quinteto Editorial (1984)
>>> Miguel e o Sexto Ano de Lino de Albergaria pela Saraiva Didáticos (2009)
>>> Para Gostar de Ler Vol. 17 Cenas Brasileiras de Rachel de Queiroz pela Atica (2003)
>>> Relações de Troca Ou Relações de Poder? Supervisão Em Fonoaudiologia de Ivone Carmen Dias Gomes pela Summus Editorial (1991)
>>> Caminho para Cristo de Ellen G. White pela Casa (1982)
>>> Caminho para Cristo de Ellen G. White pela Casa (1982)
>>> Caminho para Cristo de Ellen G. White pela Casa (1982)
>>> Caminho para Cristo de Ellen G. White pela Casa (1982)
>>> Casa de Vó é Sempre Domingo de Marina Martinez pela Nova Fronteira (1986)
>>> O Anjo de Aleijadinho de Sylvia Orthof pela Salamandra (1996)
>>> Minhas Memórias de Lobato de Luciana Sandroni pela Companhia das Letrinhas (2009)
>>> Voa, Coração de Patrícia Engel Secco pela Boa Companhia (2006)
>>> Leo Halliwell na Amazônia de Olga S. Streithorst pela Dos Adventistas (1979)
>>> Descoberta na America de Michelson Borges pela Casa (revistas) (2002)
>>> A Capoeira de Urtigas de Pedro Bandeira pela Seed (1990)
COMENTÁRIOS >>> Comentadores

Terça-feira, 22/7/2008
Comentários
Flavia Penido


Paqüera e a Graça Braga
Acabei de voltar da comemoração dos 8 anos do Samba da Vela. Aquilo é um verdadeiro culto de adoração ao samba - não dá pra não se impressionar e sem dúvida vale a viagem até Santo Amaro. Pra quem não sabe, aos sábados à tarde, no "Voce vai se quiser" (R. João Guimarães Rosa, 241), tem uma roda de samba muito animada com o Paqüera e a Graça Braga (e lá pode beber cerveja, hehehe).

[Sobre "Samba da Vela"]

por Flavia Penido
http://ladyrasta.wordpress.com
22/7/2008 às
02h29 189.33.65.86
 
Fazemos o que com o Nelson?
Olha, a ser verdadeira a afirmação de Pedro Gamba, teremos que jogar no lixo todas as peças do Nelson Rodrigues (que escrevia louca e desenfreadamente), os livros da Clarice Lispector, os do Ruy Castro, os do Luis Fernado Verissimo, Caio Fernando de Abreu, Graciliano Ramos, Carlos Drummond de Andrade. Quanto ao "Temos todos poucas idéias para publicar na vida", desculpe, mas ainda bem que Shakespeare não sabia disso, ou não teria escrito tantas obras primas em tão pouco tempo (se não me engano, "Otelo", "Rei Lear" e "Macbeth" em pouco menos de 2 anos). Existem bons escritores e maus escritores. O que ambos fazem com as suas habilidades (ou inabilidades) é totalmente irrelevante para se aferir a qualidade de uma obra. E quem já leu Proust sabe muito bem que bons escritores podem falar mais do que 3 páginas (até mais do que 3 volumes) sobre sentimentos. Enfim: é mais fácil ser econômico e falar apenas: não estou a fim de gostar. É um direito garantido certo?

[Sobre "O Conto do Amor, de Contardo Calligaris"]

por Flavia Penido
http://ladyrasta.wordpress.com
3/7/2008 às
23h59 189.33.65.86
 
Crianças devem ser orientadas
Acho que vc tocou no ponto central da questão: a censura pode (e a meu ver - e acho que no seu tb) deve ser exercida dentro de casa, simplesmente desabilitando os canais não recomendados. Sempre trabalhei fora e a primeira coisa que eu falava para a babá na contratação era: "Se eu chegar em casa e a TV estiver ligada, e ligada na Xuxa, é rua". E pasmem vcs, muitas pessoas me perguntavam: mas se ele não vê tv, o que ele faz? Ao que eu respondia: ele brinca, como crianças brincam há séculos. Crianças estão em formação, e porque estão em formação devemos direcionar seus interesses e seu lazer. Aliás, é obrigação dos pais fazer isso. Criança não tem, não, vontade própria em alguns assuntos - e querer dar a elas esse poder tão precocemente é eximir-se da tarefa de educar. Quanto aos pais que acham mais fácil apelar para a babá eletrônica... Eu só posso dizer que eles estão nas minhas preces...

[Sobre "Desligando o Cartoon Network"]

por Flavia Penido
http://ladyrasta.wordpress.com
1/7/2008 à
01h48 189.33.65.86
 
Livro não tem passaporte
Li esse texto agora de manhã e fui buscar uma passagem do "Como e por que ler" do Harold Bloom que estava folheando ontem à noite e que cai como uma luva (acho) aqui: "Exorto o leitor a procurar algo que lhe diga respeito e que possa servir de base à avaliação, à reflexão. Leia plenamente, não para acreditar, nem para concordar, tampouco para refutar, mas para buscar empatia com a natureza que escreve e lê". E acho que há dois tipos de literatura, assim como há dois tipos de música, ou de qualquer expressão artística: a boa e a ruim, sem necessidade de se olhar para o "passaporte" delas. E discordo quanto ao fato de ser difícil fazer com que alunos gostem de literatura. Acho que o bom professor, aliado a um bom livro e a uma boa comunicação com os alunos, pode, sim, fazer com que esse pavor aos livros seja, se não eliminado, ao menos diminuído - e, certamente, farão aqueles que têm pendor para a leitura descobrirem de forma rápida e prazerosa.

[Sobre "Não gostar de Machado"]

por Flavia Penido
http://ladyrasta.wordpress.com
7/6/2008 às
12h34 201.6.130.24
 
Nem 8 nem 80 II - a missão
Acho que não dá pra ser tão radical. Arte não é matemática, assim não há como estipular que são x ou y bons escritores, a cada x ou y anos. Além disso, o conceito de "bom escritor" é relativo. Acho que há uma distinção a ser feita: o fato de um autor não ter seu trabalho reconhecido, seja através das vendas ou através das críticas, não significa que ele não tenha valor. Aliás, livros de auto-ajuda vendem muito bem e nem por isso têm qualidade excepcional (eu pessoalmente os acho insuportáveis, mas tem quem goste...). Continuando: Há autores que morreram sem ser reconhecidos (tiveram reconhecimento póstumo) - já pensou se não tivessem sido publicados? Há mesmo muita coisa ruim, mas com isso forma-se massa crítica para que textos de valor surjam... E qualquer autor tem o direito de achar o seu trabalho o máximo, e de tentar ser publicado, certo?

[Sobre "A saturação dos novos autores"]

por Flavia
http://ladyrasta.wordpress.com
5/6/2008 às
14h36 201.6.132.156
 
Julio Daio Borges
Editor

Digestivo Cultural
Histórico
Quem faz

Conteúdo
Quer publicar no site?
Quer sugerir uma pauta?

Comercial
Quer anunciar no site?
Quer vender pelo site?

Newsletter | Disparo
* Twitter e Facebook
LIVROS




Amor Fora de Hora
Katarina Mazetti
Lua de Papel
(2011)



Reengenharia - Revolucionando a Empresa
Michael Hammer e James Champy
Campus
(1994)



Páginas de História Fluminense
Thalita de Oliveira Casadei
Casa do Homem de Amanhã
(1971)



A Morte da Justiça do Trabalho
Sylvia Romano
Minelli
(2002)



O Filho de Tarzan
Edgar Rice Burroughs
Codil (sp)
(1959)



Cortesía e Distinción Etiqueta y Trato Social
Irma Padovani
Sintes (espanha)
(1951)



Les Logarithmes et Leurs Applications
André Delachet
Presses Universitaires (paris)
(1960)



Coleção Prestígio Iracema
José de Alencar
Ediouro
(1995)



Turma da Monica Jovem: Bem-vindos ao Japao - Vol. 47
Mauricio de Sousa
Panini
(2012)



Fundamentos e Técnicas de Administração Financeira
Roberto Braga
Atlas (sp)
(1994)





busca | avançada
68231 visitas/dia
2,5 milhões/mês