Comentários de Felipe Boclin | Digestivo Cultural

busca | avançada
104 mil/dia
2,5 milhões/mês
Mais Recentes
>>> Maíra Lour apresenta leitura dramática audiovisual “Insensatez'
>>> Exposição do MAB FAAP conta com novas obras
>>> Projeto Camerata Filarmônica Brasileira apresenta concerto comemorativo no dia 15 de maio em Indaiat
>>> Ação Urgente Contra a Fome - SescSP
>>> Hebraica SP apresenta a peça “Preciso Falar de Amor Sem Dizer Eu Te Amo”
* clique para encaminhar
Mais Recentes
>>> Silêncio e grito
>>> Você é rico?
>>> Lisboa obscura
>>> Cem encontros ilustrados de Dirce Waltrick
>>> Poética e política no Pântano de Dolhnikoff
>>> A situação atual da poesia e seu possível futuro
>>> Um antigo romance de inverno
>>> O acerto de contas de Karl Ove Knausgård
>>> Assim como o desejo se acende com uma qualquer mão
>>> Faça você mesmo: a história de um livro
Colunistas
Últimos Posts
>>> Hemingway by Ken Burns
>>> Cultura ou culturas brasileiras?
>>> DevOps e o método ágil, por Pedro Doria
>>> Spectreman
>>> Contardo Calligaris e Pedro Herz
>>> Keith Haring em São Paulo
>>> Kevin Rose by Jason Calacanis
>>> Queen na pandemia
>>> Introducing Baden Powell and His Guitar
>>> Elon Musk no Clubhouse
Últimos Posts
>>> Acentuado
>>> Mãe, na luz dos olhos teus
>>> PoloAC retoma temporada de Os Doidivanas
>>> Em um tempo, sem tempo
>>> Eu, tu e eles
>>> Mãos que colhem
>>> Cia. ODU conclui apresentações de Geração#
>>> Geração#: reapresentação será neste sábado, 24
>>> Geração# terá estreia no feriado de 21 de abril
>>> Patrulheiros Campinas recebem a Geração#
Blogueiros
Mais Recentes
>>> Semana da Canção Brasileira
>>> Vamos fazer o português entrar na moda!
>>> Imagina se fosse o contrário
>>> Xamãs & Concurseiros
>>> Publicar um livro pode ser uma encrenca
>>> O orvalho vem caindo
>>> Escândalo na cidade cinzenta
>>> Only the paranoid survive
>>> O belo e o escalafobético
>>> Guia para escrever bem ou Manual de milagres
Mais Recentes
>>> O Poder do Marketing - Livro Clipping Col o Poder do Poder de Manville Avalon - Martin Claret pela Martin Claret (1998)
>>> Os Princípios de Liderança de Jack Welch 24 Lições de Jeffrey A. Krames pela Sextante (2006)
>>> Como Motivar Sua Equipe de Anne Bruce pela Sextante (2006)
>>> Trabalho Em Grupo Semi-autônomo de Pedro Proscurcin pela Sts (1995)
>>> Motivação Total Col Autoprogramação Mental Livro Clipping de Martin Claret pela Martin Claret (1999)
>>> Sucesso Agora Col Autoprogramação Mental Livro Clipping de Martin Claret pela Martin Claret (1999)
>>> Otimismo Sempre - Cole Autoprogramação Mental Livro Clipping de Martin Claret pela Martin Claret (1999)
>>> Perguntas e Respostas Sobre Liderança - Série Fast Business de Robert Back pela Edicta (2005)
>>> Calidad Sin Lagrimas de Philip Crosby pela Cecsa (1991)
>>> Programação para o Desenvolvimento de Jan Tinbergen pela Jan Tinbergen (1969)
>>> Marketing Comercialização de Heidingsfield e Blankenship pela Fundo de Cultura (1965)
>>> Chefia Sua Técnica e Seus Problemas de Wagner Estelita pela Fvg (1972)
>>> Estudos Complementares da Otica Oftalmica de Jorge Motta Marketing na Ótica pela Senac
>>> Democracia Empresarial Já! (autografado) de B. Milioni pela Sts (1992)
>>> Relações Humanas de Michael Williams pela Atlas (1972)
>>> Teoria da Organização Moderna de Mason Haire pela Atlas (1966)
>>> Apoio Financeiro - Como Conseguir de Maria Elena Noriega e Milton Murray pela Textonovo (1997)
>>> Custo Industrial de Ludwig J. M. Klauser pela Atlas (1970)
>>> Administração da Produção de Martin K. Starr pela Edgard Blucher (1971)
>>> Biblioteca Relações Humanas 3 - Direção e Liderança de Alberto Montalvão pela Egéria
>>> Análise de Balanços de Sérgio de Iudícibus pela Atlas (1981)
>>> Marketing do Treinamento de B Milioni pela Nobel (1990)
>>> Política dos Negócios de Lenita C. Camargo pela Mestre Jou (1967)
>>> Cartas de um Executivo a Seu Filho de G Kingsley Ward pela Record
>>> Sucessão e Conflito na Empresa Familiar de João Bosco Lodi pela Pioneira (1987)
COMENTÁRIOS >>> Comentadores

Segunda-feira, 16/9/2002
Comentários
Felipe Boclin


Não..ruim não...mas evolutivo?
Olá Gian, obrigado pelo pelo retorno. Pode ser que seja uma postura apocalíptica sim, pois ela está embasada no movimento pós-moderno e da indústria. Como dito antes, ela pode ser construtiva e evolutivs, mas só se ela for atrativa para o mercado consumidor.E o mercado evita ivenção e sim quer reivenção...é como se inventasse a roda dia a dia.Essa veinculação com o mercado é que mata a Arte como essencia, e passa então a ser produto. A cultura POP exige essa conversa com o mundo. Tô falando de modo mais generalista, ok? Indico para todos, caso não tenham lido, os materiais na Internet, livros... sobre o movimento pós-moderno, na arte e na sociedade. É muito importante essa leitura. Gian, espero mesmo que a cultura POP traga benefícios para a sociedade, eu adoraria escutar uma Música POP com extrema evolução erudita e cultural. Um grande abraço Felipe

[Sobre "Cultura pop"]

por Felipe Boclin
16/9/2002 às
18h54 200.222.91.35
 
Cultura Pop
Olá Gian, Legal o assunto tratado, mas tenho algumas opiniões que possa enriquecer um debate neste assunto tão importante. A Cultura Pop NASCEU de um único objetivo CENTRAL, - entrenimento que visa o lucro (ponto final). Esse é o seu fundamento, mas até pode haver algumas vantagens nisso. Na sua produção, esse entretenimento não pode ter uma visão crítica, a não ser se essa for mascarada. Porque não pode ter uma visão critica. Por que não vende em quantidade. A estética POP possui suas fórmulas, e estar precisam usadas. O exemplo é o K.Reaves no Matrix, era preciso um astro do cinema Holly, para passar uma mensagem e vender bastante também. De sua estrutura de fabricação logo nasceu sua concepção de "massa", de homogenização, POP (POPULAR). Por essencia de seu propósito, não busca em seu conteúdo e muito menos em sua forma ser inovadora, crítica ou provocadora. Porém, temos que analisar que a Cultura Pop é só um veículo que o mercado tem em mãos para venda. Se a crítica virar POP, a critica será vendida. Tome como exeplo o RAGE AGAINST THE MACHINE, onde tanto como conteúdo e forma criticam o sistema em que a cultura pop reina descaradamente, e este grupo é tratado pela mesma gravadora que a Madonna, a rainha POP. O que temos em muitas vezes, é a mascaração na estética POP, por uma critica construtiva ou evolutiva. Isto é, usando a forma que chegue a massa, possuindo um conteúdo em entre linhas de maneira construtiva. Isso pode entendido nos quadrinhos comentado, em filmes, nas músicas.... Mas isso não caracteriza a Cultura POP como tal. A CUltura POP pertence à um movimento que acabou de vez com a ARTE, que foi sem dúvida o Pós-modernismo. A arte vem do nada para o nada, tudo é arte, tudo é nada. Apaga-se o teor construtivo, da escola, das tradições. A arte deve ser entendida como um fator solto no espaço e no tempo. E aí surgiu a estética POP. uma estética padronizada, desde Adorno até os dias de hoje. É a maneira de atingir muitos e milhares, de gostos diferentes, de vidas diferentes....é superficial ao máximo, exatamente para atingir um maior número de pessoas. É impossível, dividir Cultura POP,da Indústria- ela é a própria. É a que financia a indústria, principalmente a do entrenimento. Temos que analisar muito bem; o que é Cultura POP e como ela é usada. Existem Produtos POP inovadores? Se exite alguém por traz ditando valores e elementos construtivos usando a estética POP, realmente existe, mas de maneira de conteúdo banal e retroativo.... nunca É de se notar que esses exemplos construtivos são mínimos de um total de produtos POPs vendido no mercado.

[Sobre "Cultura pop"]

por Felipe
16/9/2002 às
11h54 200.165.243.60
 
Linguagem Popular
"Tá fechando sete tempo / qui mia vida é camiá / pulas istradas do mundo / dia e noite sem pará / Já visitei os sete rêno / adonde eu tia qui cantá / sete didal de veneno / traguei sem pestanejá / mais duras penas só eu veno / ôtro cristão prá suportá / sô irirmão do sufrimento / de pauta vea c'a dô / ajuntei no isquicimento / o qui o baldono guardô / meus meste a istrada e o vento".... / (verso do cantador e poeta ELOMAR) / Versos como esse foram teses de Doutorado pela Univesidade da Bahia na cadeira de LETRAS. Provando que a linguagem popular, deve ser encarada como pesquisa da própria cultura, assim como a música e as manifestações culturais em geral. Esse preconceito que ainda existe, nos ocultos principios da sociedade brasileira, reforça ainda mais as barreiras de aproximação social entre aqueles da cultura culta e a cultura popular. Exemplos como a da Universidade da Bahia deveria ser seguido como uma evolução em nossas descobertas culturais e análises de nossa indentidade cultual. Abraços, Felipe Boclin

[Sobre "Língua de fora"]

por Felipe
23/8/2002 às
14h15 200.165.243.60
 
É verdade
Concordo plenamente. O reflexo da cultura "cool", infelizmente traz um comportamento que mistifica aqueles que não são cool mas também não se comportam que a indústria deseja. Vou fazer um apelo, para o pessoal do cool way of life. Um bom exemplo hoje é, trabalhar com cultura, você precisa ser cool. Vestuário, gostos musicais.....tudo pela status cool. Para essa classe, peço mais personalidade e respeito a palavra CULTURA. As pessoas que realmente estão fazendo alguma coisa pela cultura e trabalhando com sua essência, sabem que a cultura cool é extamente a negação da cultura. Um abraço Adriana... Felipe

[Sobre "Todos querem ser cool"]

por Felipe
28/6/2002 às
10h50 200.255.247.155
 
Ser cool é ignorância
A palavra cool significa a própria farsa. A tentativa de ser diferente, mas sendo igual aos outros de maneira diferente. É o que tem de pior, a falsa moralidade. São tão escravos da indústria cultural quanto aqueles que a não a percebem. Pois, os seguidores da moda cool, percebem a indústria mas se movem como tal....fazendo moda. Criando muito mais estilo e forma que conteúdo. O texto de Adriana, diz que hoje as pessoas consomem o que querem. Infelizmente tenho que descordar dessa afirmativa. As pessoas acham que querem, mas já estão com o vírus da indústrial cultural instalados em seu poder de consumo, não tem como fugir, tudo hoje virou POP . E o inverso de POP é POP.

[Sobre "Todos querem ser cool"]

por Felipe
28/6/2002 às
09h33 200.255.247.155
 
Julio Daio Borges
Editor

Digestivo Cultural
Histórico
Quem faz

Conteúdo
Quer publicar no site?
Quer sugerir uma pauta?

Comercial
Quer anunciar no site?
Quer vender pelo site?

Newsletter | Disparo
* Twitter e Facebook
LIVROS




Fragmentos de um Dia Extenso
Sergio Fingermann (capa Dura)
Bei Comunicações
(2001)



Atualidades no Processo Civil - Volume 1
Arruda Alvim/eduardo Arruda Alvim
Jurua
(2006)



How to Create Profitable New Products: From Mission to Market
George Gruenwald (capa Dura)
Ntc Business
(1997)



Gestão e Planejamento de Tributos
Flávia de Almeida Castro
Fgv
(2007)



Nossa Itália Brasileira Sabor e Arte
Cláudia Mussi
Lei de Incentivo a Cultura



Japão o Império do Sol-nascente Volume I
Martin Collcutt
Del Prado
(1997)



A Vigília do Pastor - Série Mitford
Jan Karon
Landscape
(2009)



A Elite Eclesiástica no Bispado do Maranhão
Wheriston Silva Neris
Edufma; Paco Editorial
(2014)



Frommers - Guia Completo de Viagem - Flórida
Rena Bulkin/Dan Levine and others
Julio Louzada
(1995)



Os Limões da Minha Limonada
Alcides Amaral
Cultura
(2001)





busca | avançada
104 mil/dia
2,5 milhões/mês