um assunto muito complexo | Haroldo Amaral

busca | avançada
101 mil/dia
1,7 milhão/mês
Mais Recentes
>>> “A Maçã” estreia dia 7 de março no SESC Copacabana
>>> Terreiros Nômades leva arte, história e saberes das culturas africanas e originárias a escolas
>>> Luarada Brasileira lança primeiro EP com participação especial de Santanna, O Cantador
>>> Quilombaque acolhe 'Ensaios Perversos' de fevereiro
>>> Espetáculo com Zora Santos traz a comida como arte e a arte como alimento no Sesc Avenida Paulista
* clique para encaminhar
Mais Recentes
>>> Garganta profunda_Dusty Springfield
>>> Susan Sontag em carne e osso
>>> Todas as artes: Jardel Dias Cavalcanti
>>> Soco no saco
>>> Xingando semáforos inocentes
>>> Os autômatos de Agnaldo Pinho
>>> Esporte de risco
>>> Tito Leite atravessa o deserto com poesia
>>> Sim, Thomas Bernhard
>>> The Nothingness Club e a mente noir de um poeta
Colunistas
Últimos Posts
>>> Bill Ackman no Lex Fridman (2024)
>>> Jensen Huang, o homem por trás da Nvidia (2023)
>>> Philip Glass tocando Opening (2024)
>>> Vision Pro, da Apple, no All-In (2024)
>>> Joel Spolsky, o fundador do Stack Overflow (2023)
>>> Pedro Cerize, o antigestor (2024)
>>> Andrej Karpathy, ex-Tesla, atual OpenAI (2022)
>>> Inteligência artificial em Davos (2024)
>>> Bill Gates entrevista Sam Altman, da OpenAI (2024)
>>> O maior programador do mundo? John Carmack (2022)
Últimos Posts
>>> Napoleão, de Ridley de Scott: nem todo poder basta
>>> Sem noção
>>> Ícaro e Satã
>>> Ser ou parecer
>>> O laticínio do demônio
>>> Um verdadeiro romântico nunca se cala
>>> Democracia acima de tudo
>>> Podemos pegar no bufê
>>> Desobituário
>>> E no comércio da vida...
Blogueiros
Mais Recentes
>>> Os livros que eu ganhei
>>> A letargia crítica na feira do vale-tudo da arte
>>> Retrospectiva de cabeceira
>>> 12 de Novembro #digestivo10anos
>>> A ousadia de mudar de profissão
>>> Exercício de Egocentrismo Contido
>>> O Cinema onde os fracos não tem vez
>>> Um Bonde Chamado Desejo
>>> Blogging & News Production
>>> 17 de Fevereiro #digestivo10anos
Mais Recentes
>>> Steve Jobs - A Biografia de Walter Isaacson pela Companhia das Letras (2012)
>>> Vida Incondicional de Deepak Chopra pela Best Seller (2009)
>>> A Árvore Seca de Alexei Bueno pela G. Ermakoff (2006)
>>> A vida fora da matéia de Vários Autores pela Racionalismo Cristão (2010)
>>> A Noite Das Bruxas de Agatha Christie pela Lpm Pocket (2008)
>>> Obaluae e Omulu - Coleção Os Orixás 1 de Antonio Alves Teixeira pela Pallas (1996)
>>> Quatro Vidas de um Cachorro de W. Bruce Cameron pela Harpercollins (2018)
>>> Radicci 6 - Coleção Lpm Pocket de Iotti pela Lpm (2007)
>>> O 14º Dalai Lama - uma biografia em mangá de Tetsu Saiwai pela Case (2014)
>>> O Evangelho Segundo o Espiritismo de Allan Kardec pela Cristo Redentor (2013)
>>> O Gita - Resumo e Significados de Rukmini Pati Prabhu pela Madras
>>> Dizionario Portughese Italiano Portughese de Carlo Parlagreco pela Antonio Villardi
>>> Explicações Detalhadas Sobre a Meditação Shinsokan de Masaharu Taniguchi pela Seicho-no-ie (2005)
>>> Surpresas Desagradáveis - O Pequeno Vampiro de Angela Sommer-Bodenburg pela Martins Fontes
>>> Física Clássica - dinâmica, estática, hidrostática de Caio Sérgio Calçada - José Luiz Sampaio pela Atual
>>> Tudo Sobre Yoga de Mestre Derose pela Lpm Pocket (2003)
>>> 3 exemplares: As 693 Questões dos 11 anos de Enem + revista Faap + colégios da Grande São Paulo de Material sobre Enem pela Ftd (2009)
>>> Agassi Autobiografia de Andre Agassi pela Globo (2010)
>>> 6/0 Dicas Do Fino - Ensinamentos Práticos De Um Campeão De Tênis Para Melhorar Seu Jogo de Fernando Meligeni pela Generale (2016)
>>> Ganhar Gastar Investir - O Livro do Dinheiro Para Mulheres de Denise Damiani -Cynthia de Almeida pela Sextante (2016)
>>> Poder E Alta Performance - O Manual Pratico Para Reprogramar Seus Habitos Promover Mudancas Profundas Em Sua Vida de Paulo Vieira pela Gente (2017)
>>> O Mistério Do Cinco Estrelas de Marcos Rey - Ale Abreu ilustrador pela Global (2018)
>>> Cartas A Povos Distantes - Coleção Espaço Aberto de Fabio Monteiro - André Neves ilustrador pela Paulinas (2015)
>>> 3 Revistas: Tudo Sobre Enem primeira e segunda Prova + tudo que você precisa saber de Material sobre Enem pela On Line (2010)
>>> Os Filhotes Do Vovô Coruja - Coleção Tan Tan de Eun Hee Na | Sook Kyung Kim pela Callis (2010)
COMENTÁRIOS

Quinta-feira, 15/8/2002
Comentários
Leitores

um assunto muito complexo
Júlio, acho perfeitamente válido o espírito do seu texto a respeito de direito autoral, dizendo a pura verdade: direito autoral é uma questão de honestidade (talvez, nem mesmo de cultura). Contudo, é um assunto bem complexo. Por um lado, precisamos levar em conta aquele direito autoral que tem como objetivo ressarcir os investimetos e gastos feitos para se chegar a uma criação efetivamente boa e útil. Evidentemente, isso se aplica mais ao mundo das criações tecnológicas, mas tem aspectos de mérito bem mais legítimos do que nas criações meramente psicológicas ou espitituais ou subjetivas, ou ainda, com qualquer nome que se queira dar. E o maior mérito está ligado a um esforço objetivo bem maior, envolvendo períodos de tempo bem maiores, investimentos e gastos concretos. Por outro lado, devemos pensar nas criações que resultam mais do "talento" do que da "competência", e neste caso, não podemos fechar os olhos para o fato de que, via de regra, não há gastos nem investimentos e, geralmente, não envolve períodos de tempo muito longos. Muito bem. Neste caso das criações que saem do talento, a preocupação não se dá em relação a gastos, investimentos, esforços objetivos, nem nada. O que se procura corrigir é simplesmente o fato de que terceiros não devem lucrar com algo que tenha sido pelo talento do autor. Paradoxalmente, no primeiro caso das criações tecnológicas, resultantes portanto mais da "competência" do que do talento, que inequivocamente tem mais mérito objetivo, a própria lei estabelece um limite bem curto de tempo durante o qual ocorre o "ressarcimento" (royalties). Quando muito, se não estou enganado, uns 5 anos. Já no segundo caso, o do talento, a lei prevê 60 anos de "ganhos" que nada têm a ver com ressarcimento. Enfim, na comparação entre "competência" e "talento", aparecem três agravantes beneficiando o "talento": (1) Exige menos tudo (2) Protege por 60 anos!!! (3) Demonstra preocupação em que os outros não usufruam, que é quase "mesquinha", embora legítima até certos limites. Então, Júlio, Direito Autoral é um assunto muito complexo e, em geral, muito mal interpretado, ou seja, sempre com muitoas propósitos de premiar muito mais uma "idéia" do que um "arregaçar mangas", que envolve despesa, investimento e período longo de trabalho objetivo e quase sempre exaustivo. Não sei se ajudo em alguma coisa com este tipo de análise, mas minha intenção é boa. Parabéns pela sua matéria. Um quente abraço. Haroldo Amaral

[Sobre "A pirataria, a numeração e o mercado da música"]

por Haroldo Amaral
15/8/2002 às
18h40 200.191.105.147
(+) Haroldo Amaral no Digestivo...
 
Pela eleição de Raimundo Santa
Paulo Coelho é um autor comparável à Agatha Christie, no meu entender. Não é literatura mas é popular, e não faz mal a ninguém ler os livros desses autores. Em seu texto o Eduardo esqueceu de citar o general Lyra Tavares, eleito imortal pela mesma Academia Brasileira de Letras que agora abre seu flanco ao popular. Aliás, depois de Paulo Coelho esperamos que a ABL escolha agora como imortal Raimundo Santa Helena, que faz belas poesias de cordel e é conhecidíssimo aqui no Rio de Janeiro.

[Sobre "Demorou"]

por Sandra Chaves
15/8/2002 às
15h55 200.255.169.1
(+) Sandra Chaves no Digestivo...
 

Cara Adriana, como aerofobo devo concordar que nao pode haver animal mais carinhoso e dedicado que o cao. Nos deveriamos toma-los como exemplo de moral e conduta.

[Sobre "Homens, cães e livros"]

por Aguinaldo Silva
15/8/2002 às
12h45 200.246.210.4
(+) Aguinaldo Silva no Digestivo...
 
Juízo
Caro Helion. Acho que você está exagerando o alcance de um espaço de comentários como esse. Eu não teria como provar completamente aqui a existência de juízo de valor na arte. Para isso é melhor você ler Hegel e Kant. Aliás, se você quiser abolir juízo de valor na arte, terá de fazê-lo com tudo o mais, pois o juízo é um conceito ontológico, ou seja, aplicável a tudo que existe, a tudo que é. Quanto ao que você disse sobre Villa Lobos, está tão absurdamente equivocado que mal dá pra acreditar. O puxa-saco é aquele que elogia e divulga uma suposta forma de arte até a exaustão e (isso é importante) muito além do que ela merece e sem usá-la na confecção de nada que a transcenda. Villa Lobos não foi nada disso.

[Sobre "Babação do popular"]

por Evandro Ferreira
14/8/2002 às
14h28 200.167.234.227
(+) Evandro Ferreira no Digestivo...
 
Do mais elevado ao mais baixo
Sobre esta sua frase: “A função da universidade em um país normal seria estudar tudo que a humanidade já produziu, na ordem de importância do mais elevado ao mais baixo”. Se você me definir qual o “país normal” que já chegou a uma conclusão definitiva sobre esta seqüência “do mais elevado ao mais baixo”, eu dou a mão à palmatória. Não vale citar a Rússia stalinista ou a Alemanha hitlerista. Esses definiram claramente o que era “mais elevado” e “mais baixo”. Mas não acredito que sejam os modelos que você defende.

[Sobre "Babação do popular"]

por Helion
14/8/2002 às
12h41 200.154.218.232
(+) Helion no Digestivo...
 
Villa babando o ovo
Caro Evandro, obrigado antes de mais nada pela sua resposta./// Você pode ter ouvido muitas vezes esse argumento de que “o erudito de hoje é o popular de ontem”. Não acho que isso seja sempre correto, mas de qualquer forma, nos casos em que se aplica, não se trata apenas de um cansativo argumento, uma vez que a repetição excessiva, e mesmo a vulgarização do mesmo, não o esvazia de seus elementos de verdade./// Antes de examinar o seu exemplo, gostaria de descartar para meu argumento o debate sobre a “superioridade” ou a “maior riqueza” de Villa Lobos face à música popular, pois se trata de longa discussão, para qual não há parâmetros objetivos. E eu não advoguei nenhuma pretensa superioridade, da parte de um dos dois “pólos”. Acho que isso só se presta a polêmicas pouco frutíferas, e na qual os argumentos de natureza diretamente ideológica se superpõem às considerações de caráter propriamente artístico ou cultural./// Não sei se você conhece a série francesa de CDs “Villa-Lobos par Lui-Même”, que reúne as gravações feitas por Villa regendo na França em fins dos anos cinqüenta (caso não conheça, posso fazer-lhe uma cópia). A caixa inclui a gravação de uma divertida conferência do maestro em 1959, “Qu´est-ce qu´un Chôros?”, na qual ele explica aos franceses o que é uma roda de choro, e como elas o influenciaram, inclusive imitando com a voz os diversos instrumentos e fazendo referências à cachaça e ao clima nelas reinante. Você consideraria isso uma “babação de ovo do choro”? Em caso positivo, estaria pronto a retirar de Villa-Lobos a designação de erudito, e de relegá-lo à vala dos socialistas medíocres?/// Muitos defensores do popular efetivamente gostariam de vê-lo como peça de museu. Mas não todos. Villa-Lobos, Mário de Andrade, Hermínio Bello de Carvalho, não estão entre estes. Um abraço, Helion

[Sobre "Babação do popular"]

por Helion
14/8/2002 às
12h38 200.154.218.232
(+) Helion no Digestivo...
 
multiculturalismo qualificado
Guilherme, não estava claro na sua mensagem o que exatamente você chamava de “alta cultura”, e eu por isso a associei à cultura erudita. Caso a associação não tenha sido apropriada, desculpo-me. Mas, então, fiquei sem entender./// Veja bem, agora você já está qualificando o multiculturalismo, afirmando que existe um “multiculturalismo de ressentidos”. Já estamos mais próximos, você e eu, porque eu acho possível se reconhecer um “multiculturalismo” que exprime ressentimento de classe, étnico ou cultural. Mas ele nem sempre “vive de encontrar indícios de opressão”: muitas vezes reconhece – com maior ou menor exagero – formas de opressão efetivamente existentes, buscando lutar contra as mesmas. Se as formas de atuação são ou não eficientes para enfrentar o preconceito, o racismo, é outra discussão. Podemos até enveredar por ela. Mas não concordo de maneira nenhuma com o “essencialismo” da relação marxismo e multiculturalismo que é defendido pelo texto citado. Aliás, acho que quanto a esse não vamos concordar mesmo./// Falando nisso, encontrei outros textos no Google, conforme sua sugestão, e não poderei ler todos. Me parece que se referem, na sua maioria, à versão das “culture wars” que marcam o debate político e cultural norte-americano, que é bem diferente do nosso. Forçar analogias com o caso de lá é se arriscar a não compreender nada, e tal recurso só convence aqueles que já estão predispostos de antemão a achar “genial” tudo o que sai da pena de um determinado articulista./// Sobre a professora universitária que te dissertou sobre a estupidez do homem branco ocidental, quero crer que ela não representa o que há de mais sério da postura multiculturalista, assim como fofoquinhas sobre a mulher de Lukacs não representam o que há de mais sério dentre as críticas ao marxismo.

[Sobre "O pensamento biônico"]

por Helion
14/8/2002 às
12h26 200.154.218.232
(+) Helion no Digestivo...
 
Ops!
Agradeço a gentileza do eufemismo do "se não me engano". Tens razão. O pior é que o Bloom atribui a expressão a Robert Hughes no texto mesmo que sugeri. Cochilei feio. Diria não sei que grupo de rap, expressando perfeitamente aquilo a que se propunha: "escreveu, não leu, o pau comeu". Quanto à exposição londrina de cadáveres, isso é o que chamo de "natureza morta". Um abraço.

[Sobre "O pensamento biônico"]

por Guilherme
14/8/2002 às
11h35 200.215.8.151
(+) Guilherme no Digestivo...
 
Quando opostos se atraem
No caso do Tolentino, Guilherme, o problema é que ele não é reconhecido no Brasil como é na Inglaterra ou na França. Ele foi responsável pelo departamento de Literatura na Universidade de Oxford e, dizem, escreveu das melhores poesias em francês deste século. É ignorado na academia brasileira porque ele a despreza, mas nenhum dos seus desafetos - de Caetano a Chauí - chega perto de sua erudição. Por acaso, eu assisti a algumas aulas com ele. Sua admiração por um livro de Paulo Coelho me parece mais vocação pela polêmica, ou simples respeito por um autor honesto, o que muitos dos seus detratores - tanto de Coelho como de Tolentino - não são. Abraços,
Eduardo

[Sobre "Demorou"]

por Eduardo
14/8/2002 às
11h34 200.213.203.195
(+) Eduardo no Digestivo...
 
A cultura da reclamação
Se não me engano, Guilherme, quem cunhou a expressão "culture of complaint" foi Robert Hughes no livro "The Culture of Complaint - the fraying of America", e não Harold Bloom. No meu texto "A garganta da reclamação", aliás, recomendo esse livro, quando imaginei estar ironizando o absurdo a que essa cultura politicamente correta pode nos levar. Fiquei sabendo ontem, porém, que em Londres, pra variar, há agora uma exposição de cadáveres intitulada alguma coisa como "The art of the body". Não há mais parâmetros, definitivamente. Abraços,
Eduardo

[Sobre "O pensamento biônico"]

por Eduardo Carvalho
14/8/2002 às
10h34 200.213.203.195
(+) Eduardo Carvalho no Digestivo...
 
Julio Daio Borges
Editor
mais comentários

Digestivo Cultural
Histórico
Quem faz

Conteúdo
Quer publicar no site?
Quer sugerir uma pauta?

Comercial
Quer anunciar no site?
Quer vender pelo site?

Newsletter | Disparo
* Twitter e Facebook
LIVROS




1001 Séries de Tv para Assistir antes de Morrer
Paul Condon
Sextante
(2017)



Moral Dilemmas Of Feminism: Prostitution, Adultery, And Abortion (thinking Gender)
Laurie Shrage
Routledge
(1994)



A evolução da consciência
Robert Ornstein
Best Seller
(1991)



Em Busca do eu Um Guia para a Transformação Interior
Shirley Maclaine
Record
(1989)



O Beijo da Mulher-Aranha
Manuel Puig
Circulo do Livro
(1981)



Migalhas Filosóficas - Ou um Bocadinho de Filosofia de João Clímacus
Soren Kierkegaard
Vozes
(2008)



O Controle Judicial De Constitucionalidade Das Leis No Direito Comparado
Mauro Cappelletti
Sérgio Antônio Fabris
(1984)



Livro Capa Dura Administração Competing Against Time How time-based competition is reshaping global markets
George Stalk Jr. / Thomas M. Hout
The Free Press
(1990)



/Magali Nº 114
Mauricio de Souza
Globo
(1993)



Zac Power Mega Missão 1. Base Secreta
H. I. Larry
Fundamento
(2010)





busca | avançada
101 mil/dia
1,7 milhão/mês