Homens & mulheres | Ram

busca | avançada
86662 visitas/dia
2,4 milhões/mês
Mais Recentes
>>> Nó na Garganta narra histórias das rodas de choro brasileiras
>>> TODAS AS CRIANÇAS NA RODA: CONVERSAS SOBRE O BRINCAR
>>> Receitas com carne suína para o Dia dos Pais
>>> Selo Anonimato Records chega ao mercado fonográfico em agosto
>>> Última semana! Peça “O Cão de Kafka” fica em cartaz até 1º de agosto
* clique para encaminhar
Mais Recentes
>>> Ao pai do meu amigo
>>> Paulo Mendes da Rocha (1929-2021)
>>> 20 contos sobre a pandemia de 2020
>>> Das construções todas do sentir
>>> Entrevista com o impostor Enrique Vila-Matas
>>> As alucinações do milênio: 30 e poucos anos e...
>>> Cosmogonia de uma pintura: Claudio Garcia
>>> Silêncio e grito
>>> Você é rico?
>>> Lisboa obscura
Colunistas
Últimos Posts
>>> Deep Purple em Nova York (1973)
>>> Blue Origin's First Human Flight
>>> As últimas do impeachment
>>> Uma Prévia de Get Back
>>> A São Paulo do 'Não Pode'
>>> Humberto Werneck por Pedro Herz
>>> Raquel Cozer por Pedro Herz
>>> Cidade Matarazzo por Raul Juste Lores
>>> Luiz Bonfa no Legião Estrangeira
>>> Sergio Abranches sobre Bolsonaro e a CPI
Últimos Posts
>>> Renda Extra - Invenção de Vigaristas ou Resultado
>>> Triste, cruel e real
>>> Urgências
>>> Ao meu neto 1 ano: Samuel "Seu Nome é Deus"
>>> Rogai por nós
>>> Na cacimba do riacho
>>> Quando vem a chuva
>>> O tempo e o vento
>>> “Conselheiro do Sertão” no fim de semana
>>> 1000 Vezes MasterChef e Nenhuma Mestres do Sabor
Blogueiros
Mais Recentes
>>> Clint: legado de tolerância
>>> Sultão & Bonifácio, parte I
>>> Nicolau Sevcenko & jornalismo
>>> 25 de Julho #digestivo10anos
>>> Hugo Cabret exuma Georges Méliès
>>> Jornais do futuro?
>>> Anonimato: da literatura à internet
>>> Inesquecíveis aventuras
>>> 20 de Maio #digestivo10anos
>>> A bem-sucedida invenção do gaúcho
Mais Recentes
>>> A handbook of english & american conversation de S. H. Griggs e J. B. Harris pela Goldstar (1967)
>>> Liberdade Provisória de Weber Martins Batista pela Forense (1981)
>>> Sala dos Homicídios de P. D. James pela Companhia das Letras (2004)
>>> Conversação em português, ilustrado de Associação de Promoção de Pesquisa de língua estrangeira pela Myongji
>>> Historias de Robôs - Vol. 3 de Isaac Asimov pela L&pm Editores (2005)
>>> Hildegarde de Bingen: Conscience Inspirée Du Xiie Siècle de Régine Pernoud pela Éditions Du Rocher (1994)
>>> Jane Austens Letters de Jane Austen; Deirdre Le Faye (edit) pela Oxford Usa Professio (1997)
>>> Coleção Arsène Lupin- 18 livros de Maurice Leblanc pela Principis (2021)
>>> Livro de mapas do tempo de Seiji Miyazawa pela Associação do japão (1984)
>>> Gisors et Lénigme des Templaiers de Jean Markale pela Pygmalion Gérard Watelet (1986)
>>> Madrugada sem Deus de Mário Donato pela Melhoramentos (1986)
>>> Oeuvres de Vassili Grossman pela Robert Laffont (2006)
>>> Estruturalismo e Linguística de Oswald Ducrot pela Cultrix (1971)
>>> Violas e Repentes de F. Coutinho Filho pela Leitura (1972)
>>> A Utopia Burocrática de Máximo Modesto de Dionisio Jacob pela Companhia das Letras (2001)
>>> Perception and Aesthetic Value de Harold Newton Lee pela Prentice- Hall (1938)
>>> Rugido de Vários Autores pela Todoroki (1989)
>>> Rugido de Vários Autores pela Todoroki (1989)
>>> Rugido de Vários Autores pela Todoroki (1989)
>>> Rugido de Vários Autores pela Todoroki (1989)
>>> Rugido de Vários Autores pela Todoroki (1989)
>>> Rugido de Vários Autores pela Todoroki (1989)
>>> Rugido de Vários Autores pela Todoroki (1989)
>>> Rugido de Vários Autores pela Todoroki (1989)
>>> Nippongo 1 de Departamento de educação do estado de são Paulo pela Departamento de educação do estado de são Paulo (1963)
COMENTÁRIOS

Sábado, 6/8/2005
Comentários
Leitores


Homens & mulheres
Bom, quanto ao vendedor de frutas e ao faxineiro, cada um e' uma pessoa. Pensar somente como profissionais em quem se manda e desmanda, e' o primeiro passo fracassado para se relacionar com eles. Talvez nesse sentido e' que a Adriana se referiu ao "dom feminino" para conversar com estas pessoas. Ha uma certa maneira diplomatica de se conseguir o que se quer. Coisa que os homens nunca souberam direito, e as mulheres dominam com maestria. Eu mesmo vejo as mulheres da minha vida lidando com pessoas nos mais diversos assuntos com uma habilidade que passa ao largo de mim... Ainda bem que homens e mulheres ainda sao diferentes. Imaginem que sociedade chata aquela em que a mulher finalmente se torna um homem, e desbarata sua sensibilidade e intuicao. O homem, na terra, nao tem um simbolo. A mulher e' mae, e shakti, aquela que e' capaz de gerar e nutrir todo o universo. E assim como nutre, pode destruir, consumir e purificar a vida. Ao menos e' assim que a mitologia indiana apresenta e idolatra o papel da mulher na terra. Em todas as nossas historias, a mulher tem um papel central. O universo em si e' representado sob a forma de uma mulher. Me emocionei quando vi isso num grande, famoso e antigo templo indiano totalmente dedicado a elas...

[Sobre "É preciso aprender a ser mulher"]

por Ram
6/8/2005 às
02h21 160.39.240.15
(+) Ram no Digestivo...
 
Morar em metrópoles
Minha avó costuma dizer, o lugar onde moramos é o lugar... Depois de morar em meia dúzia de lugares tendo a concordar com ela. Por outro lado, uma coisa eu ainda acho. Uma cidade muito violenta, e eu sou carioca, desperdica a energia dos indivíduos. Se o Rio mantivesse o nível que teve em meados de 95, seria hoje a capital do turismo mundial, tal o interesse em visitar esta cidade que conjuga tudo que eu amo. Tendo morado em lugares nao violentos, eu vejo que certas coisas que sempre deveriam ser simples, podem ser simples, e quando sao simples tornam a vida mais leve, mais saudavel, e mais produtiva. Acho um pouco ruim baixar a cabeca, e dizer, e' isso mesmo, e assim que vai ser morar numa grande cidade do Brasil, entao toma. Nao precisa ser assim, e nao devemos baixar a cabeca. Ao menos envie cartas para a prefeitura com sugestoes. Eu garanto que um pouco menos de violencia fara uma grande diferenca... E olha que ja' morei em lugares chatos, hiperpopulados, pouco populados, metropoles... tudo...

[Sobre "Por que eu moro em São Paulo"]

por Ram
6/8/2005 às
02h08 160.39.240.15
(+) Ram no Digestivo...
 
Alunos de administração
Eu adorei a minha formatura. Para mim foi mais um ocasião para agradecer minha família, do que propriamente encerrar um ciclo de aprendizado e estudos. Sempre pensei, e penso, em continuar estudando. Quanto aos alunos de administração, sem querer generalizar, você é uma exceção. A maioria com os quais já interagi me dizem sempre que não ganharam muito com a faculdade. E a boa parte é meio mala mesmo, porque administração se conta por objetivo (este era o argumento deles, quando lhes perguntava porque faziam uso de tanta "jargonice"). Sinceramente, em termos de malice, os engenheiros não ficam muito atrás. Exceto que apanham muito na faculdade, aí saem com egos um pouco mais sob controle. Mas só para te deixar com a pulga atrás da orelha, os melhores livros de administração, e as maiores teorias foram feitas por engenheiros, e em especial engenheiros químicos! Vai entender... Boa sorte com sua carreira atual, e não deixe nunca de estudar.

[Sobre "Minha formatura"]

por Ram
6/8/2005 às
02h01 160.39.240.15
(+) Ram no Digestivo...
 
Negócio e politicagem
Com tantos problemas como desemprego, crianças na rua, educaçao precaria e bases americanas na América do Sul, entre outros, há pessoas que perdem seu tempo em verdadeiros carnavais como a parada gay de SP. Existe, sim, um preconceito invertido, de alguns individuos que precisam "afirmar" sua sexualidade, e o interesse de alguns empresários, que certamente já devem ter ganho muito dinheiro com esse tipo de evento. Ah, claro, nao se esqueçam que nao é todo dia que um político acha tanta gente junta para sua propaganda pessoal...

[Sobre "Preconceito invertido"]

por Cristiano Alves
4/8/2005 às
15h37 200.164.64.130
(+) Cristiano Alves no Digestivo...
 
Inseguranças femininas
Olá, Dani.
Fiquei refletindo sobre suas hipóteses para o comportamento que eu descrevi e acho que não é nenhuma delas. Está mais para algumas coisas que Gilberto Freyre diz em Casa-grande & senzala. Há uma mistura entre o público e o privado, o prestador de serviço e o amigo ou membro da família. No meu caso, o motivo de não estar à vontade talvez venha do fato de que as primeiras experiências tenham sido com manicures "do bairro", conhecidas da minha mãe, etc. Aí você se sente mal de tratar como um prestador de serviço.
Diferente do gerente do banco, por exemplo. Alguém que sempre tenha convivido de forma impessoal com esses "prestadores" (o que normalmente acontece em cidades grandes) talvez não veja dessa forma. Deve ser por isso, também, que hoje eu procure salões maiores, mais impessoais. O que é um paradoxo, visto que o serviço prestado é tão íntimo...
Aproveitando o momento, parabéns pela sua última coluna. Já que você tocou no assunto "insegurança feminina", acredito que seu relato possa servir de estímulo para as leitoras que acham que fracassam em outro aspecto que as mulheres valorizam bastante: o dos relacionamentos.

[Sobre "É preciso aprender a ser mulher"]

por Adriana Baggio
4/8/2005 às
15h02 200.192.254.27
(+) Adriana Baggio no Digestivo...
 
Sobre aprender a ser mulher
Curioso isso. Nunca parei para pensar. Talvez porque, em situações como a da manicure, eu já vou logo avisando: "não é para tirar a cutícula; e, se me cortar o dedo, vou querer no mínimo desconto no serviço". Já tive dona de salão se desmanchando em desculpas comigo porque a manicure cortou o meu dedo ou a depiladora arrebentou a minha pele (pele fina é um desastre). Tratar com manicure, faxineira, vendedor de frutas não é nada diferente de lidar com o porteiro, a recepcionista do escritório, seu assistente, sua secretária ou qualquer outro profissional. Curioso isso. Será que é algum trauma relativo a serviços e prestadores de serviço "do lar"? Ou falta de segurança com feminilidade? A minha irmã consegue ser "leoa" em 4 setores: esposa, dona de sua casa, mãe e profissional.

[Sobre "É preciso aprender a ser mulher"]

por DaniCast
4/8/2005 às
12h13 200.162.223.64
(+) DaniCast no Digestivo...
 
publicar nem sempre é solução
Acredite: exitem situações em que é melhor não ter sua obra publicada do que vê-la com grande vendagem e não receber nada por isso.

[Sobre "Nós, os escritores derrotados"]

por Marcos Garcia
3/8/2005 às
18h38 200.161.198.34
(+) Marcos Garcia no Digestivo...
 
Assino embaixo
Maravilhoso artigo, Julio. Assino embaixo.

[Sobre "Não existe pote de ouro no arco-íris do escritor"]

por João Peçanha
3/8/2005 às
17h52 170.66.1.123
(+) João Peçanha no Digestivo...
 
Eu escrevo para ser lida
Alguém que abre um restaurante quer ver clientes entrando. Ninguém passa anos a fio aprendendo a tocar um instrumento a não ser para ser ouvido por outros. Portanto blogueiros que dizem não se preocupar com o número de acesso estão mentindo. E é claro que quando escrevo quero que meus livros vendam. Primeiro porque se escrevemos é porque desejamos ser lidos. Segundo porque todo mundo quer ser pago por seu trabalho.

[Sobre "Sobre Parar de Escrever Para Sempre"]

por Sonia
3/8/2005 à
01h26 201.17.74.112
(+) Sonia no Digestivo...
 
...e, daí, se acaba?
Excelente coluna, Daniela. Texto gostoso de ler, franco, sublime e duro em seu conteúdo, além de extremamente racional. Sinto verdadeira paixão nas suas palavras. Paixão em viver, paixão em curtir o que de melhor a existência nos dá – e daí se o amor acaba? Acho que o segredo é aproveitar enquanto ele existe, levá-lo às últimas (e sempre saudáveis) consequencias. Particularmente, vivo uma relação já há quase seis anos, e estou muito bem. Quem sabe dou sorte, não é mesmo? Um beijo pra você e sucesso em seus "empreendimentos" sentimentais! :-)

[Sobre "Todos os amores acabam"]

por Marcelo Miranda
3/8/2005 à
01h00 201.19.169.177
(+) Marcelo Miranda no Digestivo...
 
Julio Daio Borges
Editor
mais comentários

Digestivo Cultural
Histórico
Quem faz

Conteúdo
Quer publicar no site?
Quer sugerir uma pauta?

Comercial
Quer anunciar no site?
Quer vender pelo site?

Newsletter | Disparo
* Twitter e Facebook
LIVROS




Quarta Viagem de Colombo. Rumo as Ilhas das Especiarias
Carlos Guilherme Mota
Scipione
(1992)



Como Não Aprender Inglês - Erros Comuns do Aluno Brasileiro
Michael A. Jacobs
Do Autor
(1999)



Quilombo no Leblon, um - 1ª Edição
Luciana Sandroni
Pallas
(2011)



Rumo a Paz Perpétua - Zum Ewigen Frieden - 1ª Edição
Immanuel Kant
Ícone
(2010)



Os Dispersos - Contos
Janette Fishenfeld
Do Autor
(1966)



Português: Linguagens- Vol 1- Ensino Médio
William Roberto- Thereza Cochar
Atual
(1999)



Visual Persuasion the Role of Images in Advertising
Paul Messaris
Sage
(1997)



O último Desejo
Betty Rollin
Melhoramentos
(1988)



Traveller Intermediate B1 Studants Book
H Q Mitchell
Mm Publications
(2009)



Vade Mecum de Jurisprudência Stf e Stj
Alexandre Gialluca
Foco Jurídico
(2013)





busca | avançada
86662 visitas/dia
2,4 milhões/mês